sábado, 7 de março de 2015

ADIL PIMENTA DE SOUZA JÚNIOR, O NICA - PARTE 02

Para quem não teve a oportunidade de ler a “parte 01” desta matéria, nela dissemos que Adil começou sua carreira nas categorias de base do Botafogo de São João Nepomuceno sob o comando de Totonho”maraca” e +Madéia; depois José Maria Silva.
Em 1981 foi para o América do Rio de Janeiro onde enfrentou seu primeiro grande desafio. Uma grave fratura no tornozelo esquerdo, na temporada de 1984. Como o América não prestou a devida assistência, Adil trocou o processo que moveria contra o clube carioca, em troca da liberação de seu passe. Após a cirurgia e um longo tempo inativo, Adil se apresenta no Cruzeiro de Belo Horizonte. Zé Luís e Kilin(Érick Itaborahy) já estavam lá. Em 1986 assina com o clube celeste seu primeiro contrato como jogador profissional. No ano seguinte conquista o campeonato Mineiro, seu único título de campeão como jogador profissional. Em 1989 reforça a equipe do Tupi de Juiz de Fora. Depois Guarani, Bahia e Ferroviária de Araraquara até chegar na Portuguesa de Desportos em 1992. Jogando ao lado de jogadores consagrados como: Rodolfo Rodrigues(goleiro Uruguaio), Zé Maria(lateral da Seleção), o volante Capitão, o meia Cristóvão Borges(atual técnico do Fluminense) e o centro avante Nílson, naquele ano, Adil fez um espetacular campeonato Paulista. Seu desempenho chamou atenção de Vicente Mateus, então presidente do Corinthians, que o contratou em 1993. Em dois anos de Corinthians, Adil foi vice campeão da Copa do Brasil, do Campeonato Paulista e Brasileirão. Em 1995 foi reforçar o elenco do Grêmio de Porto Alegre. Em 96 retorna ao Corinthians e adquire seu passe para “rodar” pelo Brasil. Jogou no Figueirense, Criciúma, Sport do Recife, Coritiba, Araçatuba, Bragantino, Botafogo de Ribeirão Preto entre outras equipes. Aqui terminou a primeira parte da matéria.
*** A segunda parte destaca o último clube que Adil defendeu antes do fatídico acidente automobilístico em 2.000. Em 1999 Adil chega ao Juventus de São Paulo, o moleque travesso da Mooca. Lá Adil marcou o gol que Pelé buscou durante toda sua carreira. Jogavam pelo Paulista daquele ano Juventus e Santo André. A derrota para ambas as equipes colocaria em risco a permanência na primeira divisão do futebol Paulista. Aos 45 minutos do segundo tempo o Juventus vencia pelo placar de 1x0. 
Houve um escanteio a favor do Santo André. No desespero, Iran, goleiro do Santo André, foi para a área do Juventus tentar o gol. A bola, caprichosamente, veio na cabeça de Iran que empatou o jogo. Último minuto, empate, gol de goleiro...Tudo para uma comemoração enlouquecida e também desatenta. O juiz autoriza a nova saída. Adil, percebendo que Iran ainda comemorava o gol, chuta do meio campo, faz um golaço, e desempata o jogo.

No Jornal Nacional do dia seguinte o apresentador Willian Bonner diz a seguinte frase:“Iran comemorava seu grande feito. Mas, o gol desmancha prazer de Adil, acabou com a festa do goleiro do Santo André.”
ASSISTA

                    
Como jogador de futebol este foi o gol mais bonito que Adil marcou. No ano seguinte Deus resolveu mudar os planos do nosso craque. O acidente mudou tudo. Posso afirmar que, o mesmo Deus que mudou a Vida dele também foi misericordioso com ele. Eu que acompanhei esta situação desde o início digo que aconteceu um milagre na Vida do Adil. Do jeito que o vi  no leito do hospital, hoje, pra mim, ele está totalmente recuperado.
Mas, agora em 2015, depois de 15 anos do acidente Adil marcou o gol mais importante de sua Vida. Passou a fazer parte da diretoria da Associação de Apoio as Pessoas com Deficiência. Esta entidade foi fundada no segundo semestre de 2014 e neste início dos trabalhos está precisando de nossa ajuda.
O presidente Nílson Magno Batista fará a promoção da venda de um kit doado pelo jornalista e escritor Marcos Eduardo Neves que conta com uma camisa da seleção brasileira autografada pelo Galinho de Quintino, o Zico. Além de Livros escritos pelo próprio Marcos Eduardo, entre eles: Nunca Houve um Homem como Heleno; obra que conta as glórias, o glamour e os dramas vividos pelo “craque galã” nos seus 39 anos de vida. Também os 20 Jogos Eternos do Flamengo, entre outros. Nosso amigo Márcio Ferreira que trabalhou na extinta Fábrica de Calçados Dessan e hoje empresário do ramo de calçados em Belo Horizonte, doou uma camisa oficial do Cruzeiro autografada pelo Marcelo Oliveira, técnico bi campeão brasileiro 2013 / 2014. Com certeza você será procurado para colaborar. Vamos abrir nossos corações e ajudar nesta causa tão importante.


Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!

0 comentários:

POSTAR UM COMENTÁRIO

Postar um comentário