domingo, 28 de dezembro de 2014

LUIZ QUIRINO DE FREITAS – O SHOW MAN.

“ Eu nasci no dia 16 de julho de 1937, em São João Nepomuceno, no lugar denominado Ponte de Pedra. A casa fica bem ali na saída para Descoberto.
Comecei a jogar futebol nas peladas do campo do Operário Futebol Clube. Das peladas formamos o infantil do Operário. Eu era goleiro. Mesmo antes de jogar em clube eu gostava de colocar uma pedra de cada lado e pedia aos colegas para chutar. Assim que começou.”
Além do Operário em quais outros clubes você jogou?
- Botafogo, Mangueira, União de Roça Grande, 15 de Novembro de Rio Novo, Pombense de Rio Pomba, Tibério de Guarani, Leopoldina de Bicas e Aymorés de Ubá.
Todos os títulos são importantes; comente um.
- Foi emocionante o campeonato experimental da Liga de Futebol de São João Nepomuceno, em 1973. . Eu jogava no União de Roça Grande e vencemos o time do Descoberto pelo placar de 1 a 0.
O Descoberto era um time praticamente de profissionais, e nesta decisão eu vi a maior plateia, de todos os tempos, em um campo de futebol aqui em São João.
Nunca mais vi uma plateia assim. Além do Tista que marcou o único gol da partida, tinha o Messias do Pilão, o Arruda, Delei do Zé Descoberto, o Carlinhos do Babado, Lalucio. Um timaço.
Hoje eu arrebentei! Qual partida, ou quais, você terminou com esta sensação?
- Na decisão de União e Descoberto eu joguei muito bem. Mas tem um Mangueira e Botafogo, no campo do Mangueira(hoje Parque de Exposição), que foi inesquecível.
A partida aconteceu pelo campeonato de 1957 organizado pela Liga Biquense de Futebol e o Botafogo venceu por 1x0, gol do Guará.
Nenhuma das duas equipes tinha condições de ser campeã. Mas o clássico Botafogo e Mangueira  era como se fosse uma decisão. E esse jogo foi fantástico porque o Mangueira trouxe 8 jogadores do time profissional do Ribeiro Junqueira de Leopoldina.
O Sapucaia, que estava indo para o Cruzeiro de Belo Horizonte, era um craque e chutava muito. Teve um  lance dele que não me esqueço. No gol da entrada tinha um muro que hoje não existe mais; o Sapucaia deu um chute para o gol que lascou o muro. Caiu um pedaço de tão violento que foi o chute.

Em resumo: aquele foi um dia que realmente eu apareci em jogadas importantíssimas. E isso foi uma questão de orgulho para mim, porque eu queria mostrar que eu estava destacando, também, nesta modalidade de esporte em São João.
Gostaria de destacar outro fato marcante?
- Eu era o goleiro do Operário de São João quando fomos convidados para jogar no Mineirão. Nós vencemos; e o saudoso Sebastiãozinho Matos marcou o primeiro gol, não oficial,  do Mineirão. Bom, assim dizia ele. O Heleno Nascimento, que era um cracaço de bola, também marcou um gol.
Antes das partidas, qual atacante tirava-lhe sono? Quais as qualidades deste adversário?
- Antes de falar o nome dele quero dizer que este jogador desequilibrava. Ele tinha uma jogada característica que driblava a gente mesmo antes de chutar no gol. Meu primo Zé Tumbuta. Sem dúvida nenhuma, foi o melhor jogador de São João de todos os tempos.
1967 - Operário Futebol Clube 
+Gerson, Rosalvo, +Messias, Duda, Esutáquio, +Sebastião Matos, Quirino, Elizio e +Arlindo. 
Agachados: Anginho, +Tumbuta, Heleno Nascimento, Piorra, Tista, Hemilson Sanábio e Carlinho Potoca.
Do nosso futebol regional: um técnico, um diretor e um árbitro.
- Sebastião Cravina no Pombense de Rio Pomba, foi espetacular. Em São João tinha o Sr.Alzimar. E o Anísio Estevão, que era diretor do Operário, de vez em quando colaborava como técnico.
Antes de destacar um diretor, quero dizer que o Sr. Agnaldo Mendonça no Botafogo, Dr. Mário Zágari no Mangueira e Colombo Porto Maia no Operário, sempre trataram os atletas com muito respeito e carinho. Mas em termos de organizador de clube eu destaco Dr. Mário Zágari.
O melhor árbitro da minha época foi o Silveirinha, Mílton Silveira de Juiz de Fora. Muito bom!
Além do futebol você se destacou, também, no volei. Fale-nos um pouco desta experiência.
- Paralelo ao futebol eu joguei vôlei no Mangueira. Mesmo jogando futebol em outro clube eu jogava vôlei no Mangueira. Inclusive, fomos campeões de vôlei do interior do Estado de Minas. Tínhamos ótimos jogadores como o Egon, Cacau, Adil, Veríssimo, entre outros que não me recordo agora. Era um time fantástico. Quem treinava esta equipe era o Sargento Gibran, do Tiro de Guerra de São João.
Ao encerrar a carreira de atleta, o que o levou a ser árbitro de futebol?
- Eu sempre fui observador e rigoroso. Segundo consta, eu fui um bom árbitro, pois, ganhei o troféu Tribuna como melhor árbitro da Região. A eleição foi promovida pelo Jornal Tribuna de Juiz de Fora.
Uma passagem engraçada como árbitro de futebol.
- Em Leopoldina teve um caso muito engraçado. Foi o seguinte: eu já tinha chamado a atenção do atleta e ele fez uma falta violenta. Aí eu falei:
Já sabe a cor do cartão né?  Então, vai se preparando para sair. Ele começou a reclamar dizendo: O Sr. não pode fazer isso. Eu sou jogador profissional. Eu joguei no Americano... Quando ele falou que jogou no Americano eu disse:: O que! Americano? Fora!  Se você tivesse jogado no Real Madri, aí você ficava. Real Madri, Barcelona, mas Americano! Ah! Pelo amor de Deus né!
Quando começou a paixão pela música?
- A música foi no final dos anos 70 quando eu fui para o Esplendor do Morro e criei o Grupo Roraima. Seresta eu faço há mais de 30 anos. Há muitos anos, eu e  Neli Gonçalves, formamos “Los Seresteiros”.
E a sua música preferida que não pode faltar no repertório.
- My Way. Mas prefiro cantá-la em português. Adoro a letra.
Obrigado Nei. Foi uma satisfação muito grande estar aqui para esta entrevista. Digo que a amizade está acima de tudo.
Disse que gosto da canção My Way, sabe porque? “ Eu vou viver a minha Vida do meu jeito. Viver do meu jeito. Passando por tudo sem ferir ninguém, sem desagradar ninguém. Tentando chegar até a minha caminhada final. Eu tenho certeza que Deus vai me ajudar.”
Nós é que lhe agradecemos por tudo que fez por nosso esporte.
*** Recentemente, Quirino gravou um CD com vários sucessos. Pode adquirir que você vai gostar.
Timaço do Operário
 I Cestaro, Elízio, Quirino, Dola, Heleno Nascimento e Eustáquio. 
Agachados: +Edinho(irmão do Duda), Loro, Tista, Duda e Heleno Sarará. 
1997  - Vicente de Paula Pereira, Luís Quirino de Freitas e Tabajara Martins. Estádio Hercílio Ferreira, campo do Mangueira
Botafogo Futebol Clube  -  Guará, Quirino, Leci Lacava, Paiva, +Zé Acrísio, Ribita e Ivan. Agachados; +Arlindo, Colero, +Gabriel Nascimento, +SebastiãoMatos e Vanderlei.

Abraço a todos e 2015 de Saúde, Paz, Amor, Trabalho e muitas realizações.
Até a próxima se Deus quiser!

2 comentários:

  1. Quirino realmente é um show é um prazer ser seu amigo e poder ter desfrutado de tantos momentos de Luis Quirino, seja como goleiro, como grande jogador de vólei, compositor e interprete de sambas enredo maravilhosos, e cantor dos melhores. Realmente um show man! Parabéns Nei Medina pelo resgate histórico que tem feito em nossa São João Nepomuceno. Meu coração vibra com suas postagens de grande importância para a preservação de nossa cultura!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu meu Irmão J.Carlos. Obrigado pelas palavras de carinho e incentivo.

      Excluir