domingo, 3 de março de 2013

BOTAFOGO CAMPEÃO de 1 9 4 9



De pé: Egon, Altamiro, Mamau, Dante, Nardinho, Zé Verardo e Deacir.
Agachados:  Nem, Luiz “carrapeta”, Braz”peru”, Vadinho Louzada e Renato Furtado.

O ano de 1949 foi realmente Glorioso para o Botafogo Futebol Clube de São João Nepomuceno. No futebol, o 1º e 2º quadros foram campeões do Campeonato Triangular organizado pela Liga Rionovense de Desportos.
Detalhe: o nome Triangular não se referia à participação de apenas três equipes, e sim a três cidades envolvidas na disputa do campeonato (São João, Rio Novo e Guarani). Os participantes foram: Botafogo, Mangueira e Operário - São João Nepomuceno; Guarani e Independente – Guarani e o 15 de Novembro de Rio Novo.

Na foto acima temos o 1º quadro alvinegro. O goleiro Dante foi uma muralha do arco preto e branco. Mamau, Altamiro e Deacir estiveram seguros no sistema defensivo. E o poderoso atque que contava com Nem “do Diocrécio”, Braz”peru”, Luiz”carrapeta” e Vadinho Louzada que atordoavam as defesas adversárias.

Com uma vitória de 3x2 sobre o Mangueira, seu principal rival, o 1º quadro do Botafogo sagrou-se campeão do Triangular com duas rodadas de antecedência.
Com a ajuda do meu amigo Eduardo Ayupe, e do precioso arquivo do Centenário Jornal Voz de São João, destacaremos parte da matéria publicada por ocasião da conquista alvinegra.

“ Com renda de Cr$ 7.000,00(sete mil cruzeiros) e um público superior a 2.000 pessoas, o clássico realizado domingo, no campo do Glorioso, entre o esquadrão preto e branco e o Mangueira, correspondeu à expectativa.
O jogo foi cavado do princípio ao fim oferecendo jogadas de sensação e defesas extraordinárias dos guarda valas. Notadamente, Dante foi chamado a intervir mais vezes que o goleiro Bezerra. Portanto, foi uma autêntica peleja de gigantes, o que merecia acabar sem vencedor, visto que lutaram de igual para igual. É verdade que o Mangueira foi mais agressivo, mas a defesa do Botafogo resistiu bem, onde Dante, Verardo e Deacir estiveram muito bem. O goleiro, principalmente, fez defesas incríveis salvando seu arco de sucessivas quedas.
No entanto, ao trilar pela última vez o apito do juiz, o placar marcava Botafogo3x2 Mangueira, dando assim aos pupilos de Odone Pavanelli a sua almejada vitória sobre o time rubro e em conseqüência o título de campeão do Triangular, apesar de ainda faltarem duas rodadas para completar o returno.

O JOGO

A saída foi dada pelo Botafogo que fez sua primeira incursão ao campo adversário, precionando com firmeza e procurando resolver logo a parada a seu favor. São felizes os alvinegros, pois aos 2 minutos de jogo, Haroldo, o half estreante do Mangueira, numa jogada infeliz, atira no ângulo esquerdo do gol defendido pelo Bezerra, e a pelota entrando contra a mta de seu próprio clube.
Este tento inesperado trouxe o descontrole à retaguarda rubra, e aos i minutos, aproveitando uma confusão na boca da meta rubra, Nem atira inapelavelmente para decretar a 2ª queda d arco defendido por Bezerra.
Delira a torcida alvinegra, antegozando um triunfo fácil, precedido de um grande baile no seu temível adversário...

Após esse 2º gol, o Mangueira se firmou e já aos 15 minutos jogava de igual pra igual. Agora, era Dante que se desdobrava salvando bolas incríveis nos chutes de Camilo, Neca, Alemão e Deco. E a reação rubro continuava, mas numa escapada perigosa, o Botafogo vai a frente e Brazinho faz passar um frisson pela assistência ao arremata por cima do travessão uma bola que todos já viam no fundo das redes baeta.

Aos 16 minutos surge o gol baeta que já estava maduro. Fê-lo Camilo após um centro de Alemão. E com o Mangueira no ataque termina o 1º half-time que teve o seguinte movimento técnico: Botafogo 2 gols, 3 corners e 27 faltas. Mangueira um gol, 3 corners e 13 faltas.

Começa o 2º half-time e o panorama é o mesmo que se observou no 1º. Pressão do Mangueira que apenas a 1 minuto de seu re início chega ao seu gol de empate, assinalado por Deco comum possante tiro que fez sacudir as redes do gol Botafoguense. E agora é a vez da torcida rubra tirar sua casquinha.

Os 22 litigantes desdobram-se para marcar o tento que lhes daria a vitória. Lutam com alma, com paixão e entusiasmo. Há ataques revezados e uma carga enorme sobre o gol defendido pelo Bezerra. Este se choca com Brazinho que recebe forte pancada e cai desacordado na cancha, sendo retirado em estado de choque, recebendo os primeiros curativos na sede do Botafogo, de onde é conduzido para o Hospital São João. Em substituição a Brazinho entra Egon, e o novo Center é feliz, pois numa disputa de bola alta com Bezerra, Egon leva a melhor e assinala o 3º tento Botafoguense para delírio da torcida alvinegra.
Final: Botafogo 3x2 Mangueira.
Botafogo: Dante; Altamiro, Mamau e Deacir; Verardo e Nardinho; Nem, Luiz, Brazinho(Egon), Vadinho e Renato.
Mangueira: Bezerra; Gongon, Cacau e Haroldo; Carrada e Andrade; Alemão, Mesquita, Neca, Camilo e Deco.

De pé: Juca, Rui, Ari Teixeira, Bié, Venâncio e Braz Canguru.
Agachados: Bá, Joaquim Medina, Dr.Alpheu, Gabriel Nascimento (meu saudoso e amado Pai), José Júlio e o mascote Hildebrando Fajardo.
 Foi sem dúvida um das mais brilhantes campanhas do time de aspirantes do Botafogo no campeonato que vem de se encerrar. O onze alvinegro teve apenas uma derrota em toda competição, a que lhe foi imposta pelo Mangueira no turno, vingando-se depois no returno com uma bela vitória sobre o esquadrão rubro. O ataque do Botafogo foi o mais positivo do certame com uma média apreciável de 4 gols por partida. A sua defesa é a menos vazada. Em 10 jogos realizados venceu 9 e perdeu apenas uma partida. Marcou 41 gols e sofreu apenas 12, com m saldo de 29.
Dr.Alpheu foi o artilheiro com 12 gols, seguido de Gabriel Nascimento com 9. Completaram a artilharia: Ba 5 gols, Ari 3, José Júlio, Rui, Gerônimo e Joaquim Medina com 2 gols. Gilson, Egon e Leônidas com 1 tento cada.
Fonte: Voz de São João.

Entrevistamos o Sr. Fábio, que, relatou alguns detalhes daquela época.

NGB – Dados do entrevistado
Fábio -  Fábio de Campos Bastos, natural de Juiz de Fora(Sanjoanense honorário), casado há 63 anos com Lyra e pai de Maria Alice.

NGB – 1949 foi o ano do Botafogo Futebol Clube?
Fábio -  Sem sombra de dúvida, 1949 foi o ano de glórias para o Botafogo. Abaixo as conquistas:
_Campeão do torneio início organizado pela Liga Rionovense de Desportos, nas disputas de 1º e 2º quadros, o acontecendo no campeonato Triangular;
_Em outras competições o Botafogo se fez representar por seu jogador Leônidas. Na corrida da Fogueira e na tradicional subida no Pau de Sebo, sagrando-se vencedor em ambas as disputas.

*** A Rádio Tiradentes”A Voz da Liberdade”, gerenciada por Antônio Andrade e Matheus Caldas de Oliveira, patrocinou um concurso intitulado”o craque Sanjoanense”, onde foram inscritos jogadores dos clubes locais. Iniciada a contagem das primeiras votações passaram a se destacar: Dante Antonucci pelo Botafogo e José Carrada pelo Mangueira.
Julgo destacar este ocorrido, pois, sendo a Rádio administrada por torcedor e jogador do Mangueira Futebol Clube, tradicional e respeitado adversário, criou-se uma desconfiança entre os Botafoguenses, que “desinteressaram” pelo concurso, colocando poucos votos nas urnas para Dante.
Mas, guardando grande quantidade de votos para serem colocados. Minutos antes do Dr. Hélio de Castro Cunha, D.D. Promotor de Justiça, recolher a urna colocada na Papelaria Moderna de Rocha e Cia.
Resultado: eu acompanhando a contagem dos votos, constatei que em dado momento, desistiram de continuara contagem e o Dante foi proclamado o craque Sanjoanense.

NGB –  Esta rivalidade entre os clubes existia também entre os dirigentes?
Fábio -  Sim. O meu saudoso amigo Ubaldo Valente, ao passar em frente à galeria do Mangueira, descia da calçada para não pisar no escudo Rubro.

NGB – Nesta época, qual jogador teria condições de atuar profissionalmente?
Fábio -  José Verardo, Dante, José Carrada, Caieira, Sarrafo e Neca Beraldo. Este último jogou no Bangu-RJ.

Botafogo 1951 – de pé: Fábio Campos, José Verardo, Vovô, José Carrada, Dante, Mamau e Eduardo.
Agachados: Braz”peru”, Planika, Egon, Luís”carrapeta” e Ítalo Rossi.
  
Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!
 

4 comentários:

  1. luisrenatoabreu@hotmail.com4 de março de 2013 05:56

    Quero aqui, parabenizá-lo meu conterrãnio e amigo virtual(se me permite), pelo seu Blog, mostrando tradição esportiva aí de S.João, com muita qualidade de informação, encurtando a distancia para nós sanjoanenses.Para mim particularmente, que estou ausente há mais de 20 anos, é imensamente prazeroso navegar pele seu blog, revendo parentes e amigos nas suas reportagens. Espero que vc continue sempre com esse excelente trabalho, que com certeza, ameniza a busca de informações da terrinha pelos ausente!!! Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Renato, César e Eduardo. Obrigado a todos vocês pelas palavras de carinho e incentivo. Abração e fiquem com Deus.

      Excluir
  2. Espetacular a matéria, uma das melhores já publicadas.Gostaria que fosse feito este resgate do esporte no passado e que isto sirva de referncia para os que hoje tenham ou venha a ter o poder de gerir o esporte na região possam proporcionar uma inserção dos clubes tradicionais neste contexto, deixando de lado esta idéia de ter seleções representando as cidades como acontece por exemplo agora na copa Integração.

    Cezar

    ResponderExcluir
  3. Sou Eduardo Verardo, filho de ZE VERARDO fiquei arrepiado, qdo acessei este fantastico blog, meio que por acaso, parabens Nei. Sou Botafogo FC eternamente, meu pai, deve estar feliz neste momento, parabens

    ResponderExcluir