segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

HELENO de FREITAS - o príncipe do futebol

crédito/foto: Caras on line


O título escolhido para o filme sobre a vida e a carreira de Heleno de
Freitas é: Heleno, o príncipe maldito.

Mas, acredito que, se Leônidas da Silva foi o "diamante negro", Nilton
Santos "a enciclopédia do futebol", Pelé "o rei do futebol", Rivelino "o
reizinho do Parque", Gérson "o canhotinha de ouro", Garrincha "a alegria
do Povo", Zico "o galinho de Quintino", Roberto Dinamite “a vocação do gol”, Rondineli “o rei da raça” Romário "o rei do Rio"...

Heleno, igualmente a todos eles, com defeitos e qualidades, poderia receber como título de filme, frases mais suaves como as já destinadas a ele:

- Heleno, o craque galã -
- Heleno, o galã de chuteiras
Na pior das hipóteses, Heleno, o príncipe entre o bem e o mau OU
Heleno, entre o céu e o inferno.
MALDITO é pesado para o gênio do futebol que entre uma expulsão e outra, foi um ótimo substituto de Carvalho Leite, o maior artilheiro do Botafogo de todos os tempos.

Heleno foi o artilheiro do campeonato carioca de 1942 assinalando 28 gols
(marca nunca superada, nem igualada, por nenhum outro jogador do Botafogo
até os dias atuais).

Tri campeão Brasileiro de Seleções (1944, 45 e 46), marcando um dos gols
da vitória dos Cariocas sobre os Paulistas em 1946.

Artilheiro do Sul Americano de 1945 disputado em Santiago do Chile,
marcando 6 gols. O Brasil não foi o campeão (Argentina campeã), mas,
Heleno foi considerado o melhor jogador da competição.
Para a maioria dos cronistas esportivos, Tesourinha, Zizinho, Heleno, Jair
da Rosa Pinto e Ademir de Menezes, formam o melhor quinteto ofensivo
brasileiro de todos os tempos.

Artilheiro do Botafogo nas temporadas de 1944, 45, 46 e 47.
Campeão Carioca de 1949 com o Vasco da Gama, participando de 12 jogos e
marcando 10 gols.

Peça de teatro - Heleno de Edilberto Coutinho

Livro - Nunca Houve um Homem como Heleno de Marcos
Eduardo Neves

Outro Filme - Heleno, o príncipe do futebol

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!

Um comentário:

  1. Um espetáculo! O Heleno é dono de uma mística bem botafoguense mesmo...

    ResponderExcluir