segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

HELENO DE FREITAS ESTÁ NO GIRO DA BOLA


Olá amigos!

Modestamente, afirmo que a coluna de esportes NO GIRO DA BOLA com Nei Medina no site www.sjonline.com.br ficou sensacional. É a terceira vez que escrevo um especial sobre Heleno de Freitas, e sempre o último é o melhor. Eu gostei muito e espero que vocês também gostem.

Basta clicar em colaboradores e também No Giro da Bola

Conto com a visita de todos vocês.

Abraço forte,

Nei Medina.

domingo, 16 de janeiro de 2011

HELENO DE FREITAS - Sul Americano 1 9 4 5


Heleno, ainda, se destacou na seleção brasileira participando de 18 jogos e marcando 15 gols. Sul Americano do Chile-1945, foi seu melhor momento na seleção. Este campeonato foi disputado por sete seleções, e a Argentina foi a campeã. Mas Heleno foi o artilheiro da competição ao lado do Argentino Norberto Méndez, ambos com 6 gols marcados.
Nosso craque marcou 1 gol contra a Colômbia(Brasil 3x0), 2 gols contra o Uruguai(Brasil 3x0), 2 gols contra o Equador(Brasil 9x2) e finalizando com o gol da vitória de 1 a zero em cima do Chile.
Na foto acima, vemos o poderoso ataque brasileiro: Tesourinha (Internacional-RS), Zizinho (Flamengo), Heleno de Freitas (Botafogo), Jair da Rosa Pinto e Ademir de Menezes (ambos do Vasco da Gama). Este quinteto de atacantes foi considerado por grande parte da imprensa brasileira como o melhor ataque da Seleção Brasileira de todos os tempos.
Quando retornou ao Brasil, Heleno recebeu de Ari Barroso o apelido de "Diamante Branco". Na foto abaixo, uma das formações da Seleção Brasileira.

de pé: Jaime, Norival, Rui, Oberdan, Domingos da Guia, Biguá e o técnico Flávio Costa. Agachados: Tesourinha, Zizinho, Heleno, Ademir e Jorginho.
Na próxima edição da coluna de esportes NO GIRO DA BOLA que será publicada no site www.sjonline.com.br, por ocasião da data de 12 de fevereiro (dia de nascimento do Heleno), estarei fazendo mais uma homenagem ao "galã de chuteiras". Você não perde por esperar! Será a 40ª edição da coluna e terá como título: Heleno de Freitas, o Pelé branco.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

MICHAEL NÃO É MAIS DO CRUZEIRO!


Olá amigos! Antes de falar do Sul Americano de 1945 onde o Heleno brilhou intensamente, quero destacar que Michael Johnatas de 16 anos(filho do Márcio(robô)e da Marta) está trocando a Toca da Raposa pelo Parque São Jorge ou Palestra Itália. Isso mesmo! O nosso Michael, carinhosamente chamado de "robozinho", está de malas prontas para São Paulo. Conversei com o atleta na manhã de hoje, e ele confirmou a transferência: "é Nei, estou indo para São Paulo. Ainda falta definição se para Corinthians ou Palmeiras".
Ótima sorte ao nosso futuro destaque nacional!

Até a próxima com Heleno e o Sul Americano.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

HELENO DE FREITAS - 1 9 4 4


O ano de 1944 foi marcante para Heleno. Capitão e jogador mais importante do time do Botafogo. Teve sua 1ª convocação para seleção brasileira(foto acima), e, também formava a linha de ataque da seleção carioca ao lado de Zizinho (fla) e Ademir de Menezes (Vasco)como mostra a foto abaixo.

Neste mesmo ano o Botafogo conquistava o tri campeonato no futebol amador; destaque para Tovar, Otávio e Renê de Mendonça. Sendo que, o nosso conterrâneo, Renê de Mendonça, participou das três conquistas, 42, 43 e 44.
A foto abaixo mostra nosso conterrâneo brilhando no time da Estrela Solitária.

Mas vou aproveitar um “mix” dos textos de Roberto Porto e PC Filho, para falar do famoso JOGO DO SENTA.
“... Mais de sessenta anos nos separam daquele 10 de setembro de 1944. Botafogo e Flamengo se enfrentavam pelo returno do Estadual, em General Severiano. Aquela tarde ensolarada de domingo entraria para a história de ambos os tradicionais clubes da Zona Sul carioca.
O Flamengo caminhava a passos largos para o seu primeiro tricampeonato. Só contabilizava duas derrotas em todo o certame: uma para o América e uma para o Vasco. O campo do Botafogo estava abarrotado de gente, contando com um público excepcional para aqueles tempos sem Maracanã.
Vejamos as escalações dos dois quadros. O dono da casa teve a seguinte linha: Ari, Laranjeira e Ladislau; Ivan, Papeti e Negrinhão; Lula, Geninho, Heleno de Freitas, Valsecchi e Valter. Já o Flamengo escalou: Jurandir, Newton e Quirino; Biguá, Bria e Jaime de Almeida; Nilo, Zizinho, Pirillo, Sanz e Jarbas. O árbitro foi Aristides Figueira, o Mossoró.
Jogando em casa, o Botafogo começou melhor. Fez 2 a 1 no primeiro tempo, com gols de Heleno de Freitas e Valsecchi. Valter e Heleno de Freitas ainda ampliaram para 4 a 1, no segundo tempo. Era o placar perfeito, para vingar o jogo do turno (relembrando, Flamengo 4 a 1, na Gávea). Porém, o rubro-negro descontou com Jarbas: 4 a 2.
Aos 31 minutos da segunda etapa, Geninho balançou pela quinta vez as redes flamengas. Disse que as redes balançaram, mas já me corrijo. Na verdade, as redes não chegaram a balançar, e é nesse fato peculiar que reside toda a polêmica eterna deste jogo. A bola chutada por Geninho passou por Jurandir, bateu na parte inferior do travessão, e quicou dentro do gol, para depois sair. O juiz Mossoró estava convicto de que a bola havia de fato ultrapassado a linha, e por isso validou o gol. Botafogo 5, Flamengo 2.
O lance polêmico é a oportunidade do tumulto. Os jogadores do Flamengo, liderados por Jurandir, iniciaram o chororô para cima do árbitro, cercando-o. "Não entrou, não entrou!", juravam os flamenguistas. Mas de nada adiantava: Mossoró se manteve firme na sua convicção. Os alvinegros, que nada tinham a ver com a confusão, aguardavam o reinício da partida, batendo bola em campo. E então aconteceu a cena patética: os jogadores do Flamengo se sentaram em campo, obedecendo a ordens vindas dos dirigentes Marino Machado e Francisco Abreu. Imaginemos a cena surreal: os futuros tricampeões permaneceram pateticamente sentados até o cronômetro indicar o final da partida. Quando isso ocorreu, os craques levantaram-se e foram tomar banho nos vestiários. A súmula de Mossoró registrou o quinto gol e, portanto, o placar de 5 a 2. A Federação homologou o resultado, e o chororô dos dirigentes rubro-negros continuou durante toda a semana subseqüente, com muitas reclamações na imprensa. Os jornais então apelidaram a batalha do domingo como "O Jogo do Senta".
É importante isentar de culpa o treinador rubro-negro: Flávio Costa não teve participação no protesto bizarro. Ele afirmou, na época: "Não queria que os jogadores se sentassem no gramado. Estava longe e não pude interferir. Aquilo foi ordem dos dirigentes.".
Os alvinegros não perdoaram, e aproveitaram para tirar sarro: "Senta, para não apanhar de mais!", gritavam eufóricos. E os jogadores sentados certamente ouviam cada palavra como se fosse um sussurro nos ouvidos. Ah, como eram bons os jogos nos campos pequenos, com a torcida ali pertinho, quase encostando nos craques que encharcavam as camisas!
A bola entrou ou não entrou, afinal? Infelizmente, não há registros em fotos ou vídeos do momento sublime. Jamais saberemos quem tinha razão, se o juiz Mossoró, se os dirigentes do Flamengo. O debate segue até hoje: alguns sobreviventes juram que a linha foi ultrapassada; outros juram justamente o oposto disso.
O campeonato seguiu em frente como se nada tivesse acontecido, e o Flamengo acabou conquistando mesmo o tri, em cima do Vasco, com outro lance polêmico (o famoso gol de Valido na Gávea).
O jogo aqui relatado teve um profundo impacto na história do clássico Botafogo x Flamengo. Foi naquele domingo que começou a se acentuar a rivalidade entre os dois clubes.
Desde então, Botafogo e Flamengo já se enfrentaram centenas de vezes. E, toda vez que o fazem, é como se fosse naquela ensolarada tarde de domingo em General Severiano.”
Na foto abaixo, um salto com Quirino, Borracha e Nílton.


*** 1945, Heleno disputa o Sul Americano do Chile. Abraço e até lá, com a Graça de Deus!

domingo, 9 de janeiro de 2011

HELENO DE FREITAS 1941 - 1942


O ano de 1941 não foi bom para o Botafogo, mas Heleno começa a mostrar porque foi considerado o melhor jogador de futebol antes da era Pelé. Depois de ser a sensação do campeonato carioca de 1940, Heleno acumulou uma espetacular sequência, sendo 7 vezes artilheiro "do time" no campeonato carioca:
1941 - 24 gols;
1942 - 28 ";
1943 - 09 ";
1944 - 10 ";
1945 - 13 ";
1946 - 22 ";
1947 - 11 ".
Sendo que em 1942 foi artilheiro do Botafogo e do campeonato com 28 gols. Detalhe: depois de 42,até hoje, esta marca nunca mais foi alcançada por nenhum outro jogador que vestiu a camisa do Botafogo. Claro que outras equipes conseguiram superar esta marca, como Ademir de Menezes no carioca de 1949, vestindo a camisa do Vasco, marcou 31 gols.

Também em 1942, Heleno participa de um Botafogo 4x0 América, no estádio de Campos Sales, na reta final do Campeonato Carioca. Era a tarde de domingo, 4 de outubro daquele ano, e o Alvinegro colocou em campo Ary Nogueira César (Ary Fanho), Caeira e Danilo; Zarcy, Hélio e Santamaría; Patesko, Alfredo González, Heleno de Freitas, Geninho e Pirica. Com poucos minutos de jogo, César, do América, cometeu uma entrada desleal em Zarcy e foi expulso de campo pelo árbitro Fioravanti D’Angelo. A partida descambou para a violência e o time de Campos Sales teve mais dois jogadores mandados para o chuveiro.
A essa altura, o Botafogo Football Club já vencia por 3 a 0, com gols de Geninho (2) e Heleno. Terminada a primeira etapa, os ânimos pareciam acalmados mas, logo no início do segundo tempo, o América deu a saída e seus jogadores ficaram parados. Heleno pegou a bola, foi caminhando com ela e marcou o quarto gol. Logo depois, literalmente, o América tirou o time de campo. Inconformado, Heleno começou a cobrar do árbitro e até da policia (foto) uma providência para que a partida fosse encerrada, como realmente ocorreu, com o placar de 4 a 0. A rigor, o América não queria, diante de sua torcida, prosseguir em campo, com apenas oito jogadores, pois tomaria uma goleada histórica.
Encerrado o campeonato, com o Botafogo Football Club em segundo lugar (o Mais Querido foi campeão a apenas um ponto de diferença).

Abaixo, uma das formaçoes do Botafogo no ano de 1942.

De pé: Caeira, Zarcy, Alberto, Santamaria, Borges e Ari. Agchados: Patesko, Geninho, Heleno, Gonzales e Pirica.

***Na próxima atualização, destacaremos o ano de 1944 onde Heleno participou do famoso "JOGO DO SENTA". Aguardem!

Abraço a todos e até a próxima.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

HELENO DE FREITAS

Há pouco mais de 30 dias que antecedem ao 91º aniversário do craque galã (12.02.1920), abrirei espaço para matérias sobre nosso ilustre conterrãneo, que, estreou no campeonato Carioca de 1940, enfrentando o São Cristóvão no Estádio de São Januário. No intervalo, Carvalho Leite deu lugar a jovem promessa alvinegra. O jogo estava zero a zero e terminou 2 a 0 para o Botafogo com dois gols do Heleno. A foto abaixo, mostra Heleno marcando o 1º gol contra o São Cristovão (foto ABI-Associação Brasileira de Imprensa).

Debaixo de muito protesto, Heleno e seus companheiros comemoraram o segundo gol, também marcado pelo craque galã. O time do São Cristóvão reclamava irregularidade no lance, alegando que Heleno estava em posição irregular.

**foto ABI-Associação Brasileira de Imprensa

Neste ano, o campeão não foi o time de General Severiano, mas Heleno fez um belo campeonato e foi considerado pelos cronistas esportivos como o centro avante mais clássico, o mais técnico e o mais elegante do futebol carioca.

Na próxima atualização destarei o campeonato carioca de 1942 onde Heleno foi o artilheiro do Botafogo.

Abraço e até a próxima.