sábado, 31 de dezembro de 2011

" É SEIS A DOIS NO PÓ DE ARROZ ! "

Botafogo: de pé: Adalberto, Tomé, Servilho, Nílton Santos, Pampolini e Beto.
Agachados: Garrincha, Paulo Valentim, Didi, Édson e Quarentinha.

Há 54 anos, portanto em 22 de dezembro de 1957, Botafogo e Fluminense decidiam o campeonato carioca daquele ano. Depois de 9 anos o Botafogo voltaria a vencer o campeonato carioca.
A seguir, reproduziremos texto retirado da Revista Placar de abril de 1979 – As maiores torcidas do Brasil.

“ A semana que antecede a partida Botafogo x Fluminense, decisiva do campeonato carioca de 1957, transcorre num clima de provocações. Certo da conquista do título, o diretor de futebol do Fluminense, Aílton Machado, decide menosprezar os dirigentes do Flamengo, Vasco e América – clubes que já não têm mais possibilidades de conquistar o campeonato – e sugere que todos, em seus últimos jogos, promovam o sorteio de máquinas de lavar roupa, geladeiras, televisões para motivar os torcedores. Machado, mantendo sua linha de inabilidade, estende seu menosprezo ao Botafogo e dá aos jornais, às vésperas da decisão, uma entrevista de otimismo bombástico. De suas declarações, uma irrita profundamente os homens que dirigem o Botafogo:
“Domingo vamos ao Maracanã apenas para cumprir um compromisso para com nosso quadro social. O campeonato de 1957 já é do Fluminense. O Botafogo que espere outra oportunidade”.
Concentrados no Hotel Ipanema, no Jardim de Alá, os jogadores do Botafogo prometem ao técnico João Saldanha ganhar a partida de qualquer maneira, “no grito, se for preciso”. Saldanha, porém, está tranqüilo.
Na manhã do jogo os jornais cariocas anunciam a decisão e os homens que dela tomam parte: Botafogo: Adalberto, Beto, Tomé, Servilho e Nilton Santos; Pampolini, Didi e Édson: Garrincha, Paulo Valentim e Quarentinha.
Fluminense: Castilho, Cacá, Pinheiro, Clóvis e Altair; Jair Santana, Robson e Jair Francisco; Telê, Valdo e Escurinho. O juiz é Alberto da Gama Malcher com Antônio Viug e Frederico Lopes nas bandeirinhas.
Às 16 horas, o Maracanã não está lotado – 89.000 torcedores pagam ingressos – e o Presidente da Federação Carioca de Futebol, Antônio do Passo, acha que o televisamento direto da partida prejudica a renda.
O jogo começa, nervoso, e aos três minutos Cacá faz falta em Paulo Valentim na lateral direita, pouco além da intermediária. Nilton Santos se aproxima para bater mas Didi lhe faz um sinal e o zagueiro se agasta. Didi, então, chuta de curva sobre a área procurando Quarentinha, na meia-lua, de costas para o gol. Quarentinha tenta a meia-bicicleta, erra e a bola espirra para Paulo Valentim , na marca do pênalti. Valentim hesita um instante e acaba chutando prensado contra a grama. Parado no meio do gol, Castilho vê a bola entrar a sua esquerda. O Botafogo já vence de 1 a 0.
O Fluminense apesar da excelente campanha que lhe dá a vantagem do empate na partida, parece inteiramente enredado na armadilha do Botafogo. Quarentinha marca Telê por pressão, Édson bloqueia, pampolini cobre e Didi, muito seguro, distribui as jogadas para Garrincha, aberto na direita, ou Paulo Valentim, que atrai Pinheiro para fora da área.
São 35 minutos e Garrincha está novamente diante de Altair. Desta vez, Altair lhe toma a bola e parte para o ataque. Garrincha, porém, não se dá por vencido. Persegue seu marcador, recupera a jogada e corre até a linha de fundo, de onde centra à meia altura para a área. A bola passa primeiro por Édson, depois por Castilho até encontrar Paulo Valentim que penetra PE maia esquerda e a toca, de leve com a coxa, para dentro do gol. Botafogo 2 a 0.
Abaixo, segundo gol do Botafogo - Paulo Valentim novamente.
O jogo parece decidido, o time do Fluminense está tonto mas o Botafogo continua lutando, com fibra e raça. Aos 42 minutos, Nilton Santos avança pela lateral esquerda, como ponteiro, e centra alto para área, na direção de Paulo Valentim. Este, de costas para o gol, acerta uma bicicleta estranha, meio alta, mas coloca a bola no ângulo direito de Castilho. O placar do Maracanã maracá BFR 3 x 0 FFC.
Paulo Valentim, de vbicicleta, aumenta para 3 a 0
Quando começa o segundo tempo, a tarefa do Fluminense parece impossível, mas Escurinho, em jogada individual, deslocado pelo meio, aproveita um rebote de Adalberto e, de cabeça, diminui para 3 a 1 aos seis minutos.
O Botafogo não acusa o golpe e aos nove minutos, Paulo Valentim está novamente diante de Pinheiro, dentro da área. Um drible para a esquerda, outro para a direita e o zagueiro centrral do Fluminense, sentado, vê o jogador do Botafogo chutar com violência para marcar 4 a 1. Para o técnico Pirilo o resultado parece um pesadelo. Para Aílton Machado, um castigo. Mas os dois não têm muito tempo para pensar. Agora, aos 12 minutos, é Garrincha quem foge, sem marcação, livra-se de Clóvis, engana Pinheiro e, de dentro da área, chuta cruzado do lado direito de Castilho. O placar é quase inacreditável: Botafogo 5 a 1. A partida já está ganha e o túnel do Botafogo se agita.
Saldanha é abraçado, agarrado, quase sufocado. No campo , apesar da alegria do túnel e da torcida, os jogadores continuam lutando. Ainda são 23 minutos do segundo tempo e Garrincha corre outra vez pela ponta, passa por Altair, engana Clóvis e toca para Paulo Valentim, só, diante de Castilho. Valentim está tão livre ( os fotógrafos, atrás do gol, revelam mais tarde o detalhe incrível – Valentim chega a perguntar a Castilho em que canto ele prefere mais aquele gol. Botafogo 6 a 1.
A partir deste instante, para os jogadores do Botafogo não há mais futebol. Muitos choram, já não conseguem correr e disputar as jogadas.. Na linha lateral dezenas de torcedores e dirigentes abraçam Garrincha sempre que ele passa diante do túnel. Talvez por isso, quase ninguém percebe quando Valdo, aos 39 minutos, marca o segundo gol do Fluminense, de cabeça, numa bola centrada sobre a área e que a defesa do Botafogo nem percebe.
No fim, o gol de Valdo acaba valendo para que a torcida do Botafogo, ao deixar o Maracanã, faça a rima quebrada na gozação da vitória:
“É seis a dois no pó de arroz!”

Com imagens espetaculares do CANAL 100, um resumo do que foi a decisão do campeonato carioca de 1957. Botafogo 6x2 Fluminense.


Que as Bênçãos de Deus sejam derramadas sobre todos nós.
Feliz 2012!
Até a próxima se Deus quiser.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

HELENO DE FREITAS! ESTÁTUA JÁ ESTÁ EM SÃO JOÃO NEPOMUCENO

Na tarde desta quinta-feira (29) o artista plástico Edgar Duviviver entregou à cidade de São João Nepomuceno a tão esperada estátua de Heleno de Freitas.
Heleno foi o maior ídolo da torcida Botafoguense antes da “Era Maracanã”.
Artilheiro do campeonato carioca de 1942 com 28 gols. Marca nunca superada, nem igualada, por nenhum outro jogador do Botafogo até os dias atuais.
Artilheiro do Botafogo nos anos de 44, 45, 46 e 47.
Marcou 2 gols no fatídico “jogo do senta” onde o Botafogo venceu o Flamengo por 5 a 2 e os jogadores rubro-negros sentaram no gramado. A torcida do Botafogo gritava: “Senta pra não levar de mais!”
Tri-campeão pela Seleção Carioca – 44, 45 e 46.
Convocado diversas vezes para a Seleção Brasileira, disputou os Sul-Americanos do Chile (1945) e Argentina (1946). Formou o maior ataque de todos os tempos da Seleção Brasileira ao lado de Tesourinha, Zizinho, Jair da Rosa Pinto e Ademir de Menezes...

Aproveito a oportunidade para dizer que, há anos, diversas pessoas vêm lutando para que Heleno tivesse esta homenagem. Entre elas destaco Gérson Gonzaga e Nilson Baptista.
Mas neste momento quero deixar registrado que a realização desta homenagem vai muito mais além do que diversos pedidos a políticos, sejam eles a Vereadores, Prefeitos, Deputados ou qualquer outro título. SEM MEDO DE ERRAR, digo que existem pessoas que passam por nossas vidas, deixam suas marcas, e desaparecem.
Foi o que aconteceu com um Botafoguense chamado Dr. Humberto Cotas. Em agosto de 2010, eu, João Daniel, Roberto Isaías, Túlio Medina e André Almeida fomos assistir a um jogo do Botafogo no Engenhão (Botafogo 3x0 Atlético Mineiro), mas antes estivemos em General Severiano, e lá nosso amigo César Oliveira, espetacular editor de livros de futebol, nos apresentou Dr. Humberto. Em resumo, Dr Humberto perguntou se tínhamos interesse em comprar uma cota da estátua do Heleno de Freitas. Ele e mais alguns torcedores do Botafogo estavam levantando recursos para aquisição da próxima estátua do Engenhão(já existem 3 – Garrincha, Nilton Santos e Jairzinho). Nos despedimos do Cotas e ficamos de pensar.

O encontro com Dr. Humberto foi de fundamental importância. Depois do jogo, a caminho de São João, chegamos a conclusão que antes de participarmos deste projeto precisaríamos ter o nosso projeto aqui em São João. É nesta hora que, NA MINHA OPINIÃO, que entrou a figura mais importante entre todas as mais importantes, João Daniel Moreira Machado.
Naquele momento João disse: “São João Nepomuceno pode ter a estátua de Heleno de Freitas através da Fundação Cultural. A partir daquele momento mergulhou de cabeça no projeto e ajudou a articular todo o processo que foi um sucesso total. Ou seja, em menos de 1 ano e meio o objetivo foi alcançado.

E aí está. Com a Graça de Deus, prevista inauguração para o dia 12 de fevereiro de 2012, data que, se estivesse vivo, Heleno de Freitas completaria 92 anos.

Parabéns Drª Edmea Moreira Machado, Dr. Joaquim Machado, Antônio Luís, Marcos Araújo, Léo Araújo, Roberto Isaías, Manoel Pinto(Keko), toda comunidade Sãojoanense, todos que direta ou indiretamente participaram deste projeto e, volto a repetir, na minha opinião, principalmente João Daniel Moreira Machado.

Engenhão, 07 de agosto de 2010 - João Daniel, Roberto Isaías e eu.

Sala de troféus do Glorioso Botafogo - eu e Dr.Humberto Cottas.

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

ORQUESTRA ELDORADO – ORGULHO NACIONAL!

Hotel Quitandinha - Petrópolis - de pé: Pisca, Zenim, Zé do Baixo, Adslson, Floretinho, Noé, ñ identifiquei, João "Mamão" e o último também não identifiquei.
Sentados: Sr. Jura, meu tio João Furlan, Zé Popó e José Carlos Furlan.
A espetacular Orquestra Eldorado foi constituída no final da década de 30 / início de 40, mas o auge de sua formação aconteceu nos anos 50 e 60. Foi a segunda Orquestra a se apresentar no belo e recém inaugurado Carangola Tênis Clube. A Festa de abertura foi abrilhantada pela Orquestra Tabajara.

Com apenas 17 anos, músico e arranjador, meu Tio João Baptista Furlan iniciou sua carreira na Orquestra Eldorado no início dos anos 50. Orgulhoso, me conta muitas histórias relacionadas à Orquestra. Diz que na antiga linha férrea que ligava Ponte Nova ao Rio de Janeiro, a Orquestra tocou em praticamente todas as cidades. Além do Petropolitano, Hotel Quitandinha, São Paulo, Uberlândia...

Acredito que um fato marcante foi se apresentar (anos 50) no Petropolitano, sábado de carnaval. Por ser a capital da República, o Estado da Guanabara aproveitava as comemorações do Reinado de Momo para reunir políticos, autoridades e a alta sociedade fluminense em 4 bailes de Gala:
- sábado no Petropolitano (Petrópolis);
- domingo no Hotel Quitandinha (Petrópolis);
- segunda no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e finalmente Terça no Hotel Glória!
Isso mesmo! Uma Orquestra de São João Nepomuceno se apresentando no Petropolitano, sábado de carnaval, executando belas músicas de carnaval para um seleto grupo de políticos, autoridades e a elite Fluminense.

A primeira foto que ilustra o blog de hoje tem algo incomum com um Clube de Petrópolis. Em 1961, por ocasião de mais um aniversário do Internacional do Alto da Serra, o presidente daquela agremiação Petropolitana, saiu às ruas buscando colaboradores para assinaturas no “livro de ouro”; fato este que levantava fundos para a Festa. Sr. Waldir, um admirador da Orquestra Eldorado, não só assinaria o livro, mas, também, pagaria a orquestra. Só colocou uma condição: “ a orquestra tem que ser a Eldorado de São João Nepomuceno. Além disso, quero jantar com eles junto à minha família e um convidado amigo meu.”

Assim foi feito! O presidente do Internacional veio a São João e acertou tudo com o Sr. Jura (pai do Carlos Mauro, Jurinha, Itamar). Na data marcada, dia anterior ao baile, a Orquestra Eldorado chegou a Petrópolis para se apresentar mais uma vez no suntuoso Hotel Quitandinha.
Após um banho, os músicos foram conhecer e jantar com o Sr. Waldir.
Saber que existia um admirador que patrocinasse o baile, mas exigia a Orquestra Eldorado, até aí tudo bem. Mas o que todos não sabiam é que o “tal” convidado do Sr. Waldir era simplesmenteo Manuel Francisco dos Santos, o Garrincha.
Mané estava de folga da Seleção e prestes a se tornar bi-campeão carioca pelo Botafogo e bi-campeão Mundial pela Seleção Brasileira em 1962.

Belas histórias de nosso orgulho musical que foi a Orquestra Eldorado.
Clube Democráticos - de pé: Pisca, Zé Popó,Zenim, Zé do Baixo, Floretinho, Noé, João Mamão e Rui Barbosa.
Sentadados: JUra, João Furlan, Carlos Furlan e José Carlos Furlan. Paulo Velasco é o cantor.

DETALHE: CLIC NAS FOTOS PARA AMPLIAR

Até a próxima se Deus quiser!

domingo, 25 de dezembro de 2011

STÉFANO NA APRESENTAÇÃO DO FLUZÃO EM MANGARATIBA

23/12/2011 09h15 - Atualizado em 23/12/2011 11h26
Flu pode ter até cinco jovens da base na pré-temporada em Mangaratiba
Stéfano, Lucas Patinho e Samuel Rosa já estão confirmados. Segundo Abel, chance de trabalhar com seu filho Fábio não o incomoda: 'Estou tranquilo'

O elenco profissional do Fluminense pode ser reforçado por até cinco jogadores das divisões de base durante a pré-temporada no Hotel Portobello, em Mangaratiba, entre os dias 5 e 20 de janeiro. O lateral-esquerdo e atacante Stéfano, o apoiador Lucas Patinho e o atacante Samuel Rosa já estão confirmados. Outros dois que podem se juntar à lista são os volantes Ewérton e Fábio, filho do treinador Abel Braga. A chance de trabalhar com seu primogênito, no entanto, não assusta o comandante, que usa até o exemplo de Bernardinho e Bruninho na Seleção Brasileira de vôlei.
- Vai o Stéfano, o Samuel o Patinho e, pelo que me foi dito pelo Sandro (Lima, vice de futebol), o Ewérton e o Fábio. No ano que vem ele será um dos mais velhos dos juniores. Não é porque é meu filho não. Isso não quer dizer nada. O melhor exemplo é o Bernardinho. É até um pouco contrangedor, mas quando saiu o Ricardinho ele bancou o Bruninho porque tinha de ser - explicou o treinador do Fluminense.

Os jovens já poderão ter chances durante o Campeonato Carioca, uma vez que o Fluminense jpgará com a equipe reserva em algumas partidas da competição. O próprio Abel já confirmou que a estreia diante do Friburguense, no dia 21 de janeiro, será com o time reserva.
Fonte: globo.com

É isso aí Stéfano São João nepomuceno está torcendo por você. Deus te abençoe!

Até a próxima se Deus quiser.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

BOTAFOGO 1948: FIM DE 13 ANOS DE JEJUM

BOTAFOGO 1948: FIM DE 13 ANOS DE JEJUM

Olá amigos! Mantendo a linha deste blog que é “o resgate da memória esportiva” publicaremos texto da Revista Placar ( Botafogo - As maiores torcidas do Brasil ) onde, em abril de 1979, o jornalista e Botafoguense Sandro Moreyra relata que depois do tetracampeonato conseguido em 1935, o Botafogo parou de ganhar. Quando se iniciou o campeonato de 1948, as esperanças se renovaram. Abaixo, matéria de Sandro Moreyra.

“O meu time ideal é o do tempo do Garrincha, mas meu time inesquecível é o de 1948: Oswaldo Baliza, Gérson e Nilton Santos. Rubinho, Ávila e Juvenal. Paraguaio, Geninho, Pirilo, Otávio e Braguinha.
Quem poderia esquecer esse time de 1948?
Quem poderia esquecer a fé de Carlito Rocha, a mística do cachorrinho Biriba ou as superstições do roupeiro Aloísio?
Hoje, 30 anos passados (matéria de abril de 1979), o Botafogo de 1948 mais do que nunca precisa ser lembrado. Pois aquele time quebrou um jejum de 13 anos, pois não éramos campeões desde o fim da cisão do futebol carioca em 1937. O clima era de quase desespero, principalmente porque o Botafogo parecia estar destinado a ser um eterno vice campeão, como foi em 44, 45, 46 e 47.
O ano de 48 começou com várias novidades, para mim e para o Botafogo. Eu, que era jornalista político, passei a cronista esportivo da Folha Carioca e da Tribuna Popular, com a missão de cobrir o dia-a-dia do meu próprio clube. Ali, noticiei logo de saída a contratação de Zezé Moreira – por cinco contos de ordenado, a chegada de Pirilo, que recebeu luvas de 35 contos e, finalmente, muito triste, a venda do passe de Heleno de Freitas ao Boca Juniors, por 600 contos. Heleno, além de meu amigo, era um craque. Em SUS últimos anos de Botafogo sempre fora o artilheiro e a estrela máxima do time. Confesso que fiquei meio pessimista quando vi que o Carlito havia fechado o negócio com o Boca e achei que o título não viria nunca.
O início do campeonato carioca de 48 foi um desastre completo. O Botafogo perdeu de 4 a 0 para o São Cristóvão, em General Severiano. A torcida, furiosa, xingava os jogadores e exigia de Carlito Rocha a volta de Heleno, que ainda não embarcara para Buenos Aires e assistira ao jogo junto comigo, nas sociais. Carlito, porém, sempre confiante, disse apenas uma frase: “Eles não sabem que estão vaiando o campeão do ano”. E Carlito tinha razão, porque depois daquela derrota o Botafogo não perdeu. Zezé Moreira fez apenas duas modificações e a equipe acertou. Rubinho entrou na lateral direita, substituindo Marinho Rodrigues, e Nilton Santos tomou o lugar de Sarno, na lateral esquerda.
No terceiro jogo do campeonato, apareceu o cachorrinho Biriba. O Botafogo enfrentava o Madureira em General Severiano e eu não sei bem o que deu na cabeça do Macaé(um ex-zagueiro do clube), que na época trabalhava com auxiliar do departamento de futebol, pois durante a preliminar de reserva, em que o Botafogo venceu de 10 a 2, o Macaé resolver soltar em campo aquele cachorrinho preto e branco que ele levara para o clube. Daí em diante, o Biriba surgiu em todos os jogos do Botafogo, enlouquecendo os adversários e os elegantes juízes ingleses que estreavam no campeonato carioca.
No primeiro clássico contra o Fluminense, nas Laranjeiras, o Botafogo mostrou que seria campeão. O Fluminense ainda tinha um bleo time: Castilho, Pé de Valsa e Hélvio. Índio, Mirim e Bigode. 109, Simões, Careca, Orlando e Rodrigues. Quem ia apitar era um certo Mr. Ford, que ganhara o apelido de “Rei do Pênalti”.
De qualquer maneira, aquela foi uma partida sensacional. O tal de Mr. Ford justificou plenamente o apelido, marcando nada menos do que quatro pênaltis, três deles contra nós. Com pouco mais de meia hora de jogo, o Botafogo já vencia por 3 a 0, glos de Pirilo, Braguinha e Otávio. Oswaldo baliza defendeu 2 pênaltis e o Botafogo venceu por 5 a 2.
E o Botafogo continuou vencendo e virou o turno na liderança ao derrotar o Vasco, em São Januário, por 2 a 1, gols de Otávio para nós e Chico para eles. O Vasco, em 48, era uma potência. A maioria dos seus jogadores era da Seleção Brasileira: Barbosa, Augusto e Wilson. Eli, Danilo e Alfredo. Djalma, Maneca, França, Tuta e Chico. Mesmo assim o Vasco não pode deter o Botafogo.
Se a acampanha do turno fora excelente ( o Botafogo além da derrota para o São Cristóvão, perdeu só mais um ponto diante do Bangu) a do returno foi ainda mais brilhante, com apenas um ponto perdido para o Fluminense. E nós chegaríamos ao final do campeonato utilizando apenas 15 jogadores com 17 vitórias em 20 jogos.

A arrancada final para o título foi incrível. O jogo contra o Olaria, na Rua Bariri, foi um drama. Faltavam 19 minutos para terminar a partida e o Botafogo perdia por 3 a 1. Mas numa prova de coragem, dedicação, os jogadores reagiram e ghegarama um 4 a 3 quase milagroso.
No domingo seguinte, contra o Flamengo, em General Severiano, nova virada. Kanela armara um esquema especial para derrotar o Botafogo e colocara em campo o que de melhor havia na Gávea: Luís Borracha, Nilton e Norival. Biguá, Bria e Jaime de Almeida. Luisinho, Zizinho, Gringo, Jair da Rosa Pinto e Durval. O resultado do esquema de Kanela e que aos 24 minutos do segundo tempo o Flamengo vencia pelo placar de 3 a 1. Mas o Botafogo virou em 21 minutos ( olha o 21 aí ) e no fim venceu por 5 a 3.
Até que chegou a decisão contra o Vasco. A véspera tinha sido de muita tensão. Corria o Boato de que torcedores do Vascaínos iriam envenenar a comida do cachorro Biriba. Carlito ficou agitado, tomou mil precauções: uma delas foi trancar o cachorrinho numa das torres do velho casarão colonial da sede, na Avenida Venceslau Braz, com o dedicado Macaé à porta. Macaé seguindo as ordens de Carlito, era obrigado a provar a comida do Biriba, que o garçom do clube trazia. Macaé passou a semana provando comida de cachorro, que, se estivesse envenenada, mataria a ele, e não ao Biriba.

No dia 12 de dezembro de 1948, o Botafogo venceu o Vasco por 3 a 1. Time igual aquele, com aquela coragem, aquela raça e aquele empenho, o Botafogo jamais teve igual.”
Texto: Revista Placar – abril de 1979.

Abaixo, fotos dos gols da partida.



Portanto já se passaram 63 anos daquela conquista. E, realmente, a coisa só está piorando.

Como está é a última publicação antes do Natal, eu, Nei Medina, desejo a todos que, neste data que comemoramos o Nascimento de Jesus Cristo, que este dia possa trazer muitas Bênçãos para todos nós. Um Feliz Natal e Boas Festas.

Até a próxima se Deus quiser!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

PABLO DE BARROS CONTINUA NO FIGUEIRA!

Foto: Figueirense Futebol Clube

Nem Botafogo, nem Fluminense. O blog do Nei Medina dava como, praticamente, certa a ida de Pablo para o Botafogo, mas depois de uma longa conversa com seu empresário, Pablo entendeu que permanecer mais uma temporada no Figueirense será muito bom profissionalmente.
No ano que se encerra, logo na estréia, em 20 de julho, Pablo teve uma grave lesão, o que impossibilitou que fizesse um bom campeonato Brasileiro.

Agora, totalmente recuperado e com a ida do lateral Bruno para o Fluminense, o caminho se abre para que Pablo assuma de vez a titularidade no time de Santa Catarina, e tenha condições de fazer uma bela temporada em 2012.

Boa sorte Pablo!

Até a próxima se Deus quiser.

domingo, 18 de dezembro de 2011

JOGADORES PROFISSIONAIS EM SÃO JOÃO NEPOMUCENO

Foto: Nei Medina.
Como já virou tradição, neste domingo(18), no campo do Mangueira, aconteceu mais uma manhã festiva na querida São João Nepomuceno. Jogadores de nossa cidade e região, que atuam ou atuaram no futebol profissional, fizeram uma partida beneficente e nem mesmo a chuva (dádiva de Deus) atrapalhou o nível do espetáculo. O Adversário foi a Equipe do Laranjal, vice campeã da Copa Panorama de Futebol 2011, da cidade que leva o mesmo nome.

Com presenças de Pablo de Barros (Figueirense-SC), Stéfano (Fluminense-RJ), Leandro Ferreira (América-MG), Michel(Tupi-JF), Matheus (infantil do Vasco-RJ), Zé Luiz, Ayupe entre outros, a partida se transformou num atrativo muito interessante. Os torcedores que compareceram ao Estádio Heleno de Freitas foram presenteados com uma “chuva de gols”. A primeira etapa foi bem cadenciada e terminou 1 a 0 para os donos da casa. Na etapa final o placar ficou elástico. Final 4 a 3 para São João.

Como houve atraso para o início da partida, fizemos registro somente do 1º tempo.
No vídeo abaixo você verá os melhores momentos da primeira etapa, inclusive o único gol marcado pelo excelente atacante Michel.




Sentimos a falta de diversos jogadores, entre eles a do Hiago Dias, jogador da base da Sociedade Esportiva Palmeiras que justificou sua ausência devido aos preparativos para a Copa São Paulo(foto abaixo)

EM TEMPO: noticiamos que o empresário do Pablo se reuniria com os dirigentes do Botafogo do Rio na última terça-feira(13). Conversei com o atleta e, na verdade, o encontro acontecerá nesta próxima terça(20). Pablo disse que além do Glorioso, o Fluminense também mostrou interesse em contratá-lo.
“Estarei viajando para o Rio na manhã desta terça-feira e vamos conversar com os dois clubes (Botafogo e Fluminense). Na terça, à noite, estarei de volta e se Deus quiser com a situação definida”.

Também, falei com Leandro Ferreira(volante do América-MG) sobre o seu futuro no Coelho. “Fomos campeões das séries C(2009) e B(2010) do Brasileiro. Estou escrevendo minha história no América e tenho o reconhecimento da comissão técnica e diretoria. Existe o interesse do Internacional de Porto Alegre, mas estou muito bem no América e acho que não é hora de sair”.

GALERIA DE FOTOS:




Parabéns ao Fernando de Lélis(Kibil) e toda sua equipe pela organização do evento. Foi ventilado a possibilidade de outra partida, agora em Laranjal. Vamos Aguardar.

Até a próxima se Deus quiser!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

NÍLTON SANTOS, " A ENCICLOPÉDIA DO FUTEBOL "

Foto: Revista Placar
"Feliz o clube que pudesse vestir sua camisa em Nínton Santos. O Botafogo pôde."

Ele nasceu em 16 de maio de 1925 na Ilha do Governador, Rio de Janeiro. Na Ilha, garoto ainda, teve seus primeiros contatos com a bola, sempre cheios de carinho e sabedoria. Mas não era somente um jogador de fino toque, mas também um atleta muito forte, alto e vigoroso. Foi profissional durante dezessete anos e, ao longo desse tempo, vestiu somente as camisa do Botafogo e da Seleção Brasileira.
Nílton Santos foi assim mesmo: craque e atleta.
Jogava só por distração quando menino, e continuou assim durante o serviço militar. E foi no Exército que conheceu o major Honório, que tinha bastante prestígio junto a Carlito Rocha e o técnico Zezé Moreira. O major Honório conseguiu que Nílton, aos 22 anos de idade, fizesse seus primeiros testes num time profissional, o Botafogo.
Logo no primeiro treino, substituiu o gaúcho Ávila, que defendia e atacava. Saiu-se muito bem diante de tantos cobras do time profissional, apesar de jogar numa posição que não era a sua. Pois, aquele que seria um dos maiores zagueiros da história mundial do futebol, foi a General Severiano pensando que iria jogar onde sabia, no ataque. Mas o porte físico de Nílton, o atacante dos jogos de várzea, fazia com que técnicos e dirigentes logo o imaginassem pelo menos um centro-médio.
Foto: Revista Placar
"Nílton Santos, zagueiro que não dava botinada nem chutões, a Enciclopédia do Futebol".
E como centro-médio, Nílton foi mostrando seu futebol. Até que veio o campeonato carioca de 1948. Aproveito para incluir um pequeno texto de minha autoria... O Botafogo vinha de uma série de 4 vice-campeonatos. Com Heleno de Freitas no time, o Botafogo chegou em 2º lugar nos campeonatos de 44, 45, 46 e 1947. Continuando... O Botafogo estreava mal em 1948, perdendo para o São Cristóvão por 4 a 0. O pior jogador da partida foi o beque esquerdo Sarno.
E pronto: escalaram o jovem Nílton Santos para aquela posição. Não adiantava mesmo lutar contra o destino: ele, que tanto pedira ao técnico e aos dirigentes para jogar como atacante, iria ser conhecido mundialmente como um perfeito lateral esquerdo.
O Botafogo foi campeão caricoa de 1948, mostrando na defesa, pelo lado esquerdo, umzagueiro que tinha a estranha mania de atacar, chutar a gol e até marcar gols, como no jogo contra o América, naquele campeonato em que uma bomba do novato deu a vitória ao alvinegro.
Mas Nílton Santos já mostrava também outra característica que seria uma espécie de marca registrada do seu futebol: numa época em que os zagueiros jogavam com chuteiras de bico duro, ele usava calçados macios e não trombava e nem era violento. Saía jogando, limpava a sua área docemente, sem dar chutões, e sabia driblar.
A categoria de Nílton Santos logo o levou à Seleção Brasileira. Jogou o Sul-Americano de 1949 e a Copa Rio Branco do mesmo ano. Foi reserva na Copa de 50, disputou os Pan-Americanos de 52 e 53. Em 1954, foi titular no Mundial da Suíça.
Em 58 foi para a Suécia como reserva de Oreco e voltou campeão do Mundo titular. Em 62, com 37 anos, voltou bi-campeão do Chile. E, bi-campeão despediu-se do futebol.
Texto: Placar - As maiores torcidas do Brasil - abril/1979
Foto: futebolmemoria
Seleção Campeã Mundial em 1958, na Suécia. Em pé: Djalma Santos, Zito, Bellini, Nílton Santos, Orlando e Gilmar. Agachados: Garrincha, Didi, Pelé, Vavá e Zagallo. Ao lado, o massagista Mario Américo.

Até a próxima se Deus quiser!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

CÁSSIO E SERGINHO, TREINADORES DO INFANTIL DO VASCO DA GAMA, VISITAM SÃO JOÃO.

Foto Nei Medina - Serginho, Zé Luiz, Ayupe e Cássio

Hoje, terça-feira(13), foi mais um dia importante para nossa cidade na área esportiva. A convite de Marco Aurélio Ayupe, estiveram em nosso Município, Cássio e Serginho, treinador e auxiliar técnico da equipe infantil do Vasco da Gama campeã carioca 2011.

Eles participaram de um "observatório", no campo do Mangueira, na expectativa de "garimparem" mais pérolas para o futebol carioca, em especial, para o Vasco.
Um exemplo disso é Matheus Pimentel. Há um ano no Vasco, Matheus subiu este ano para o infantil. Matheus é filho de André e Maria Tereza Pimentel. O vovô, Paulo Afonso era só sorrisos ao lado do netinho que compareceu ao evento.

Conversei com Serginho e ele falou da satisfação em poder colaborar com o Ayupe. Mas tinha a consciência que esta seletiva também é importante para o Vasco, pois, o Matheus é uma prova que o Município e a região têm grandes talentos. Disse ainda que o Vasco está no caminho certo. No ano passado o infantil foi vice (merecia o título) e este ano veio a conquista ao vencer a forte equipe do Fluminense, nas Laranjeiras, pelo placar de 2x1.
Ressaltou também o total apoio recebido pela diretoria do Vasco.

Ele ficou emocionado quando lembrei que em 1982 ele formou o meu campo campeão carioca ao lado de Dudu e Ernani. O jogo decisivo foi contra o Flamengo e Marquinho marcou o gol da vitória.

Veja os melhores momentos daquela decisão:

Ficha técnica:
Campeonato Estadual do Rio de Janeiro 1982
Local: Maracanã
Árbitro: José Roberto Wright, auxiliado por Luis Carlos Felix e Elson Pessoa.
Cartões Amarelos: Figueiredo, Andrade, Tita, Junior, Ernani, Dudu.
Cartão Vermelho: Júnior.
Gol: Marquinho, aos 3 minutos do 2º tempo

VASCO - Acácio; Galvão, Ivan, Celso e Pedrinho; Serginho, Ernani e Dudu (Marquinho); Pedrinho Gaúcho (Rosemiro), Roberto e Jerson. Técnico: Antônio Lopes.

FLAMENGO - Raul; Leandro, Figueiredo, Marinho e Júnior; Andrade, Adílio (Vitor) e Zico; Tita, Nunes e Lico (Wilsinho). Técnico: Paulo César Carpegiani.

Estamos torcendo para que São João Nepomuceno continue sendo um celeiro de craques e fomentando o "mundo da bola".

Parabéns Marco Aurélio Ayupe pela inicativa e prestígio.



Até a próxima se Deus quiser!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

PABLO DE BARROS NO BOTAFOGO-RJ

Foto: Nei Medina


Está marcada para esta terça-feira(13) uma reunião entre o empresário de Pablo e a diretoria do Botafogo para uma possível contradação do polivalente jogador.

Pablo que foi campeão Mineiro e dispotou a Libertadores deste ano pelo Cruzeiro, encerrou a temporada 2011 atuando pelo Figueirense de Santa Catarina.

" As chances de acertarmos é muito grande, pois, existe o interesse do Botafogo e também minha vontade de retornar ao futebol carioca ".

Vamos aguardar a negociação e torcer para que aconteça o melhor. Boa sorte Pablo! Estamos torcendo por você.

Até a próxima se Deus quiser!

sábado, 10 de dezembro de 2011

RÁDIO CULTURA FM INAUGURA NOVAS INSTALAÇÕES

Foi um sucesso a inauguração das novas instalações da Rádio Cultura FM de Descoberto-MG. A Rádio Comunitária, constituída em 13 de julho de 1998, entregou a comunidade Descobertense um espaço com o que há de mais moderno em temos de radiofonia no Brasil.

A 105,9 de Descoberto conta agora com uma ótima área para recepcionar seus colaboradores, convidados e visitantes. Além de estúdio com equipamentos de última geração que proporcionarão aos ouvintes a satisfação de sintonizarem uma Rádio, “antenada” a evolução dos tempos.

Parabéns ao vibrante Mazinho Mauad, atual Presidente da Rádio, pelo seu comprometimento, garra e entusiasmo em tudo que faz. Ao lado de sua equipe, dos colaboradores e ouvintes escreve mais uma página que fará parte da história do Município de Descoberto.

Abaixo, um vídeo com o discurso de Mazinho Mauad quando da inauguração das novas instalações da Rádio Cultura FM.



Tive a grata surpresa de conhecer e ouvir a linda cantora Natalie Mauad. No vídeo abaixo, ela interpreta uma bela música de sua autoria.



Veja a galeria de fotos.


Ouça a rádio pela internet www.radioculturafm.net

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

JORGE CURY - 26 ANOS DE SAUDADES.

Foto: fmanha.com.br

No próximo dia 23 dezembro, completaremos 26 anos sem JORGE CURY, o maior locutor que o rádio esportivo brasileiro já teve.
Torcia pelo Flamengo, e quando o craque dominava a bola, principalmente o Zico, ele dizia: “dá-lhe goroto!”. Se driblasse: “passa de passagem”, e ao final do jogo chamava os “trepidantes da Globo”: “fim de papo! Kleber – Loureiro”, referindo-se a Kleber Leite e Loureiro Neto.

Jorge Cury morreu em 1985. Após a decisão do campeonato carioca daquele ano, onde o Fluminense conquistou o tri-campeonato vencendo a fortíssima equipe do Bangu, Cury viajou para Caxambu, sua cidade Natal, para passar o Fim de Ano com seus familiares. Próximo a Caxambu ele se envolveu num grave acidente automobilístico. Paulinho, ponta esquerda do Fluzão, foi o autor do gol que entrou para história como o último gol narrado por Jorge Cury. Diretamente do “meu arquivo”, com vocês, Jorge Cury! “ Na pontinha da agulha...”



Com respeito a todos os locutores esportivos do Brasil, tragicamente e sem avisar, calava-se a mais potente voz do rádio esportivo brasileiro. Vocabulário rico e inconfundível, era dono do melhor grito de gol, independentemente do time que estufasse a rede do adversário. Profissional do rádio há mais de 43 anos preparava-se para sua 10ª Copa do Mundo

Começou sua carreira em 1942 numa Rádio de Caxambu. Em 43 foi contratado pela Rádio Nacional do Rio de janeiro onde trabalhou por 30 anos.
Em 1972, realizou outro sonho: trabalhar na Rádio Globo do Rio de Janeiro. Ficou mundialmente conhecido, e permaneceu até 1984, quando foi demitido para a entrada de José Carlos Araújo. (VEJA NO VÍDEO ABAIXO, O DESABAFO DE JORGE CURY QUANDO DE SUA DEMISSÃO).


Fica nossa homenagem, nossa eterna gratidão e saudade.

Até a próxima se Deus quiser!

domingo, 4 de dezembro de 2011

COPA BAHAMAS SUB 13 - São João Nepomuceno é o grande campeão!

Na manhã deste domingo(04) a equipe do Núcleo Recreativo de São João Nepomuceno (escolinha da Prefeitura), comandada, brilhantemente, pelo competente Marco Aurélio Ayupe, venceu a forte equipe do Bonsucesso de Juiz de Fora pelo placar de 1x0. O gol foi marcado pelo craque Pelezinho, aos 9 minutos do primeiro tempo, após uma boa jogada de Saulo pela direita que cruzou para a área e Pelezinho só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede.

Com este resultado o nosso representante conquistou a Copa Bahamas categoria sub 13.

Como podemos observar (foto abaixo), a partida foi acompanhada por um ótimo número de torcedores que compareceram ao Estádio José Procópio Teixeira, campo do Sport de Juiz de Fora.

Com imagens de Eduardo Ayupe, editadas por Fernando Lima, veja o gol de Pelezinho (depois de grande jogada de Saulo pela direita). Gol que deu o título de campeão da Copa Bahamas 2011 na categoria sub 13 ao Núcleo Recreativo de São João Nepomuceno.


Outro momento importante foi a entrega do troféu que contou com a presença do Prefeito de Juiz de Fora, Custódio de Matos e dos proprietários do Grupo Bahamas de Supermercados.

Parabéns ao Ayupe e toda sua comissão técnica ( Zé Luiz, Cícero, Zim e todos que colaboram com o Núcleo) por mais esta grandiosa conquista. E a Prefeitura Municipal de São João Nepomuceno pelo total apoio ao Núcleo Recreativo.

Até a próxima se Deus quiser!

sábado, 3 de dezembro de 2011

VASCO OU CORINTHIANS? A resposta está aqui no Blog do Nei Medina.

Foto: supervasco.com

No distante ano de 1974, o Vasco conquistava seu 1º título de campeão brasileiro. Na oportunidade surgia o garoto Roberto Dinamite, que anos depois se tornaria o maior artilheiro de todos os tempos do brasileirão.

Na reta final o Machão da Gama passou por Santos, Internacional-RS e finalizou com uma vitória sobre o Cruzeiro.

Veja as imagens.


Anos depois, 1990, o Corinthians conquistava seu 1º campeonato brasileiro.


Na verdade, a Taça está na mão do Corinthians, pois, depende somente dele. Uma vitória ou empate frente ao Palmeiras lhe garante o título. E mesmo sendo derrotado, no caso de derrota ou empate do Vasco contra o Flamengo, o Corinthians ainda conquista o título.

OPINIÃO DO BLOG

Mesmo com tantos fatores contra, acredito que o Vasco será o campeão e explico porque. Em São Paulo a rivalidade acontece entre torcedores e principalmente entre os dirigentes dos clubes. Sendo assim, aposto numa vitória do Palmeiras sobre o Corinthians.

Já no Rio de Janeiro, pelo que já vi nestes meus 35 anos de torcedor, a rivalidade é única e exclusivamente entre os torcedores. Fica a impressão que existe uma "cordialidade entre os dirigentes". Não é uma afirmação e sim uma impressão. Portanto, acredito numa vitória do Vasco.

Vitória do Vasco e derrota do Corinthians é igual a título para o Machão da Gama.

Vamos aguardar para ver no que dá!

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

HELENIZE DE FREITAS, ORGULHO DO ESPORTE BRASILEIRO!

Realmente, nossa cidade é rica de talentos. Mais um exemplo de competência e sucesso é Helenize Henriques de Freitas, a BELÊ, que iniciou sua vitoriosa carreira no vôlei jogando pelo Mangueira F.C.
A convocação para Seleção Mineira Juvenil não demorou muito, onde sua participação despertou o interesse dos grandes clubes da capital.
Minas Tênis Clube de Belo Horizonte foi o seu primeiro destino, permanecendo um ano nesta equipe. Na seqüência a convocação para a Seleção Mineira Adulta. Entre 1967 e 1970 defendeu o Mackenzie de Belo Horizonte. Neste período já fazia parte do seleto grupo de atletas que defendiam a Seleção Brasileira de Vôlei Feminino, onde, por muitos anos, foi a capitã da equipe.
Na foto acima, Helenize observa o ataque de Gegê(9).

Belê, carinhosamente chamada pelos amigos e amigas de times e seleções, por diversas vezes foi eleita a melhor jogadora em competições como: campeonatos brasileiros, estaduais e sul-americanos.

Filha de uma família onde o talento esportivo imperava, pois é sobrinha do “craque galã” Heleno de Freitas e prima do ex-jogador de vôlei Bebeto de Freitas, representou o Brasil em três edições dos jogos Pan-Americanos.
Pan-Americano – 1967 – Winnipeg – Canadá
Técnicos – Geraldo Faggiano e Hélcio Nunan Macedo
Classificação: quarto lugar
Elenco: Cleide Pereira, Marlene Djinishian, Arlena Figuerova Hunka, Denise Ferraresi, Helenize Henrique de Freitas, Yara Maria Miranda Ribas, Leonésia Cardoso Soares, Nessy Albes, Valmi Volpe e Heliane Lobo Artiaga

Jogos Pan-Americanos – 1971 – Cali – Colômbia
Técnico – Celso de Carvalho Bandeira
Classificação: quarto lugar
Elenco: Cássia Regina Montanarini, Eliana Maria Nagib Aleixo, Maria Imaculada Junqueira Barbosa, Helenize Henrique de Freitas, Silvia Regina Montanarini, Arlena Figuerova Hunka, Irene Tavares Gasparini, Myriam de Queiroz Telles, Cleide Pereira, Célia Regina de Oliveira Garritano, Maria Aparecida Rondino e Sonia Maria Giacomini

Jogos Pan-Americanos – 1975 – México
Técnico – Edinilton José de V. Aquino (feminino Assistente técnico – Ênio de Figueiredo Silva
Classificação: quinto lugar
Elenco: Fátima Maria Mendes Pinto, Denise Porto Mattioli, Helenize Henrique de Freitas, Sônia Maria Costa de Faria, Cássia Regina Montanarini, Silvia Regina Montanarini, Maria Angélica Beraldo, Maria Helena Decoussau, Fernanda Emerich da Silva Rejane, Maria Dantas Maia, Nara Tenório de Souza e Deyse Lima Coelho.
Da esquerda para direita estão: Nara Tenório, HELENIZE (Belê), Fátima Pinto, Fernanda Emerick, Gegê, Ednilton.
Abaixo: Cássia Montanarine, Maria Helena Decousou, Silivia Montanarine, Soninha, Rejane Maia, Deyse Coelho.

Em entrevista concedida ao meu amigo Geraldo Rabello, em fevereiro de 2002, Helenize relatou alguns fatos marcantes em sua brilhante carreira, como a vitória sobre a seleção de Cuba, em Moscou, quando após vencer o jogo, se jogou ao chão e chorou compulsivamente; e também em outra vitória, agora num sul-americano em Caracas na Venezuela, quando venceu a seleção do Peru, outro rival que depois venceu nove vezes seguida esta competição.
Na oportunidade, Helenize deixou uma mensagem aos jovens, que reproduziremos nesta edição:
“ O esporte ensina tudo, porque nos ensina a perder com dignidade e a buscar a vitória com toda garra”.

Hoje, residindo em São João Nepomuceno-MG, Helenize curte os amigos e mantém a forma disputando alguns torneios de máster pelo Brasil, como o realizado no Rio Grande do Norte onde defendeu a equipe do Mackenzie (foto acima). Também, está se dedicando a natação, onde ao lado de sua irmã, a campeoníssima Herilene, vem colecionando títulos e medalhas.

HELENIZE DE FREITAS, A BELÊ, É MAIS UM TALENTO DE NOSSA TERRA.

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

TABAJARA MARTINS, O HOMEM SORRISO!

Ah mês de novembro! Por que nos pregaste está peça? A sexta-feira amanheceu triste. Faleceu na tarde-noite de ontem, dia 24 de novembro, Tabajara Martins. Para os milhares de amigos Bajara, Tamborão...

Perdemos um figura maravilhosa. Sempre receptível, alegre, carinhoso. Começamos nossa amizade em 1975 ( há 36 anos ). Assistíamos os jogos do Botafogo na extinta filial da Casa Leite. Televisão colorida, novidade naquele tempo. Aguardávamos com ansiedade a chegada do João Pires, na oportunidade, funcionário da casa. A TV Industrial de Juiz de Fora, hoje Tv Panorama, era repetidora do sinal da TVEducativa do Rio de Janeiro, hoje TVBrasil. Que festa!

Fã do locutor esportivo José Carlos Araújo, Bajara tinha na ponta da língua frases como: "Bico doce", "vamos dar um giro pelo anel da cidade". Quando estávamos "tomando uma" na roda de amigos, lá "pelas tantas", ele saía com esta: "daqui a pouco, sorteio de um carro zero km, patrocínio de ... se estívéssemos, por exemplo, na chácara dos Louzada ele diria: " patrocínio da Padaria Louzada." Bom demais!

Bajara participou ativamente de nosso futebol. Inicialmente, goleiro do Botafogo como mostra a foto abaixo.

Depois, massagista da bela equipe formada pelo saudoso José Maria Silva.

Também, trabalhou na arbitragem. Na foto, em 1997, ao lado de Luiz Quirino de Freitas e Vicente de Paulo.

Na galeria de fotos, voltamos no ano de 1994, festa na chácara dos Irmãos Louzada. Bajara aparece com a alegria contagiante que sempre o acompanhou e nos cativou.




Saudades! Que Deus conforte à Família e dê o descanso Celestial ao meu amigo/irmão Tabajara Martins!

Até a próxima se Deus quiser!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

MÁRCIO CARRADA CINQUENTÃO!

O dia 12 de novembro de 2011 ficou pequeno para tantos abraços recebidos pelo nosso Carrada.
Manda Brasa, carinhosamente chamado por seus amigos, comemorou seus 50 anos de vida ao lado de seus familiares e muitos amigos.

A festa foi tão maravilhosa quão é maravilhoso o aniversariante. Maridão, ótimo Pai, amigo dos amigos e de caráter inquestionável. Assim descrevo meu amigo Carrada que, na juventude, foi nosso líder defendendo as cores do Botafogo de São João Nepomuceno, onde conquistamos o torneio início do campeonato Municipal de 1981.

Na foto abaixo, de pé estão: José Maria Silva(técnico), De Barros, Carlinhos, Bezerra, Tulinha, Kilin, DP, Zerli, Frank, Nei Medina e o Diretor de Futebol Luiz Carlos Nogueira, Cacau.
Agachados: Paçoca, Serginho Marchiori, Banguela, Aírton, Carrada, Natinho, Periquito, Bengó e Tabajara Martins.

Também, foi tri-campeão de futsal ( 84 – 85 e 1986 ) defendendo o time de Calçados Dessan Ltda.

De pé estão: Toninho, Carrada, Tico da Dessan, Paçoca, leno e +Zé Braz.
Agachados: Nandão, Candinho, +Tico do Bandaia, e Tarcísio.

A primeira foto que ilustra este blob foi tirada na noite em que tivemos a honra de estarmos juntos a este ser humano de coração bondoso, pessoa marcante, receptivo e cativante. Voltamos no tempo fazendo pose de time de futebol. De pé: Carlinhos Mendonça, Nei Medina, Márcio Carrada e Adil (“craque na bola, craque na vida”). Sentados estão: Márcio Furtado de Castro, o nosso Paçoca, Anderson Nogueira, DP e Renato Campos, Natinho.

Obrigado meu Deus por mais este momento entre amigos/irmãos!

1994 - Festa na Chácara dos Louzada galeria de fotos





Clique nas fotos para ampliá-las.

Acesse: www.sjonline.com.br e leia a coluna de esportes NO GIRO DA BOLA com Nei Medina.

Até a próxima se Deus quiser!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

TUPI É O CAMPEÃO DA SÉRIE D 2011

Foto: EBA!!! Futebol

O Tupi foi a Recife e venceu o Santa Cruz pelo placar de 2x0. O Galo “carijó” não se intimidou com a força dos mais de 50 mil torcedores que empurravam o time da casa.

No primeiro jogo em Juiz de Fora (MG), o Tupi venceu pelo placar de 1x0, com gol de Ademílson. Podendo até empatar o segundo jogo o Tupi nem precisou desta vantagem, pois, suportou a pressão e saiu vitorioso para alegria de sua numerosa torcida.

Jogando bem fechado e explorando os contra ataques, o time de Juiz de Fora foi valente e teve em seu goleiro Rodrigo a base de sustenção do time. Além dos atacantes do Santa Cruz abusarem de muitos erros de finalizações.

A primeira etapa terminou com o placar em branco, mas no tempo final o Tupi sentiu que mesmo jogando fora de casa a vitória poderia acontecer. E aos 34 minutos, em rápido contra-ataque, o Tupi abriu o marcador. Alan bateu o goleiro Tiago Cardoso e fez Galo 1x0. Este gol tornou a chance do Santa de ser campeão quase impossível, pois, precisaria fazer três gols para sagrar-se campeão.

Não demorou muito e o Tupi ampliou o marcador, desta vez com Henrique. O time mineiro saiu em velocidade e Henrique bateu o goleiro, para tristeza de mais de 50 mil torcedores que estavam no Arruda, Tupi 2x0 placar final.

FICHA TÉCNICA
SANTA CRUZ 0 X 2 TUPI
Local: Estádio Arruda, no Recife (PE)
Data: 20 de novembro de 2011, domingo
Horário: 16h50 (de Brasília)
Árbitro: Cleber Welington Abade (SP)
Assistentes: Griselildo de Souza Dantas (PB) e Eduardo Lincoln Neves (RN)
Público: 54.815 pessoas
Renda: R$ 754.760
Gols: Tupi: Alan, aos 33 minutos da segunda etapa e Henrique aos 36 minutos da segunda etapa
SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; André Oliveira, Renatinho e Leandro Souza; Eduardo Arroz, Bismarck (Washington), Memo, Weslley e Dutra (Kiros); Thiago Cunha (Ludemar) e Fernando Gaúcho
Técnico: Zé Teodoro
TUPI: Rodrigo; Marquinhos (Adalberto), Wesley Ladeira, Silvio e Michel (Henrique); Assis, Augusto, Marcel e Luciano Ratinho (Vitinho); Ademílson e Allan
Técnico: Ricardo Drubscky

São João Nepomuceno faz parte da história do Tupi. Cedeu vários jogadores para a equipe principal, inclusive um técnico, Wellington Fajardo que foi campeão da Taça Minas Gerais em 2008.

Simão Saturnino a esquerda

Adil

Zé Luiz a direita

Wellington - atleta, goleiro do Manchester, equipe que representava JF.

Wellington - técnico

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!