sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

RESGATANDO O QUE FICOU SEM REGISTRO


De pé, da esq p dir. De Barros, Carlinhos Mendonça, Bezerra, Tulinha, Kilin, DP, Zerli de Barros, Frank, Nei Medina e Luiz Carlos Nogueira, Cacau. Agachados: Paçoca, Serginho Machiori, Marto Banguela, Aírton Roça Grande, Márcio Carrada, Natinho, Periquito, Geraldo Bengó e Tabajara Martins.

Chegamos ao final de mais um ano, e neste último texto de 2010 resolvi relembrar uma parte da história que passou despercebida. Como trabalho no prédio onde funciona a Sede da Liga de Futebol de São João Nepomuceno, dei uma olhada na ata que contém os registros do ano de 1981. Eu procurava as informações sobre o campeonato de 1981, em especial, as do Torneio Início vencido pelo Botafogo Futebol Clube de São João Nepomuceno. Infelizmente, não encontrei uma linha sequer relatando o fato(torneio início). Aproveito este espaço para informar aos queridos leitores que este momento foi de grande importância para o futebol de São João, e explicarei o porquê.

Em 1980, José Maria Gomes da Silva retornou à nossa cidade, vindo do Rio de Janeiro, para trabalhar no INSS. Zé Maria, como era tratado por todos, acabara de realizar um excelente trabalho nas divisões de base do CREIB do Rio de Janeiro (Clube Recreativo Industrial de Bangu), e, logo na sua chegada, juntou a garotada (na faixa de 15 anos) e criou o mais novo time da cidade, o Nacional. Em resumo, com o sucesso desta equipe, o Botafogo, na pessoa do seu presidente o Sr. Ubi Teixeira, interessou em levar aquela garotada para fazer parte de suas categorias de base. Afinal, o trabalho já estava iniciado.

O trabalho do Zé Maria agradou tanto que quando encerrou o mandato do Sr. Ubi, os diretores do Botafogo pediram-lhe que ficasse mais um biênio. O Sr. Ubi aceitou com uma condição:" aceito ficar desde que acabemos com o futebol de adultos, e, a partir de hoje, essa garotada represente nosso Clube. Assim foi feito.

E os meninos não decepcionaram. Com idade máxima de 18 anos, começamos a representar o Botafogo, jogando nas cidades vizinhas e vencendo com certa facilidade os adversários mais tradicionais como: XV de Novembro e Prainha de Rio Novo, Sporte e Leopoldina de Bicas, Mineiro de Santos Dumont, Vesúvio de Maripá de Minas, Rochedo, Guarani... Detalhe: todos times de adultos.

Voltando ao Livro de Atas da Liga de Futebol de São João, em maio de 1981 o Botafogo venceu o Torneio Início que abriria o campeonato, salvo engano, Humberto Nicodemos. Enfrentamos as equipes do Mangueira, Operário, Descoberto e Rochedo de Minas. Não fomos campeões deste campeonato, porque depois de vencermos o Torneio Início, os concorrentes entraram com recurso na Federação Mineira de Futebol, através da Liga de São João, alegando que o regulamento permitia apenas 4 jogadores menores de idade, e o elenco alvinegro era todo ele menor. Portanto, o Botafogo ficou de fora. Mas isso não consta em lugar nenhum, por isso o relato.

Bem, o que vale registrar é que com a atitude do Sr. Ubi Teixeira o futebol de São João teve sua renovação, que foi vital para seu crescimento e projetou craques desta geração como: Kilin e Zé Luiz no Cruzeiro, Nica, Periquito e Ayupe no América-RJ, Lió e Tico do Bandaia e Zerli no Atlético-MG, DP, Robson Magalhães e Aírton Roça Grande no Flamengo-RJ, Natinho no Botafogo, Genesinho e Nabor no Vasco, entre outros.

Hoje, Marco Aurélio Ayupe também realiza este trabalho de base em São Soão, só está faltando um time, saído desta base, para representar nosso Município em competições de maior expressão.

Abaixo, uma foto do Nacional, onde tudo começou.


De pé: De barros, Léo Louzada, Sebatião Cabrita, Penor, Kilin, Itamar, Nei e José Maria. Agachados: Natinho, Ninha Itaboraí, Waguinho Detoni, Geraldo Bengó, Periquito Luís Sérgio Mendonça e o último não identifiquei.

Abaixo, foto do juvenil do Botafogo

De pé: José Maria, Roberto Isaías, Jerônimo Serpa, Geraldo Rabelo, Danilo, Lió, Léo Louzada, Zuza, Marcelino e Cacau. Agachados: Jadir, João Carlos, Geoneli, Nica, Kim Leite, Tico do Bandaia, Genesinho, Waguinho e Chocolate.

Abaixo, foto do infantil


De pé: José Maria, Josemar, Nando Bovoy, Neil, João Carlos, Nabor, Geraldo Rabelo e Adriano Rossi. Agachados: Felipe, Cacalo, Sidnei, Fabinho e Mané Leandro

FELIZ 2011 COM SAÚDE, PAZ E MUITAS REALIZAÇÕES.

Nei Medina.

OBSERVAÇÃO: NÃO HÁ REGISTRO DO TORNEIO INÍCIO,E SIM DO CAMPEONATO DE 1981.

DETALHE: CLIQUE NAS FOTOS QUE ABRIRÃO EM MAIOR TAMANHO.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

HELENO DE FREITAS - 1949 CAMPEÃO CARIOCA


Campeão Carioca pelo Vasco da Gama? Isto mesmo! Mesmo tendo jogando por sete anos consecutivos pelo Glorioso Botafogo(1940 /1947), Heleno de Freitas conquistou seu 1º e único título Carioca defendendo as cores do time da Cruz de Malta. Depois de uma rápida passagem pelo Boca da Argentina (1948 - 15 jogos e 7 gols), Heleno retorna ao Brasil para integrar o "Expresso da Vitória". O Vasco montou um timaço. Heleno não participou de todos os jogos (brigou com o técnico Flávio Costa), mas contribui com a equipe marcando gols importantes(10 no total).
Abaixo, os jogos em que Heleno marcou:

03.07.1949 São Cristóvão 11-0 Maneca(4), Ademir(3), Heleno(2), Ipojucan,
Nestor
17.07.1949 Bangu 2-2 Ademir, Heleno

31.07.1949 Canto do Rio 6-0 Ademir(2), Heleno(2), Nestor, Chico

Returno

25.09.1949 São Cristóvão 4-1 Nestor(2), Maneca, Heleno

02.10.1949 Bonsucesso 8-1 Ademir(2), Heleno(2), Danilo(2),
Maneca, Mário
09.10.1949 Bangu 4-2 Ademir(2), Heleno, Ipojucan

23.10.1949 Canto do Rio 4-0 Ademir(3), Heleno

(*) Vasco campeão com duas rodadas de antecedência.


Na foto acima, jogo contra o América. Não marcou neste jogo, mas deu muito trabalho à defesa do "Mequinha".

Resumo
Colocação: Campeão invicto
Campanha: 18 V, 2 E, 0 D; 84 GP, 24 GC
Artilheiro: Ademir, 31 (é comum aparecer como 30 em várias fontes)
Fontes primárias de consulta
Revista Grandes Clubes Brasileiros
Jornal dos Sports
O Globo
Fontes complementares
Agradecimentos ao Club de Regatas Vasco da Gama, pelo fornecimento das
datas e artilheiros.
Algumas correções foram obtidas no livro "Campeonato Carioca, 96 anos de
história", de Roberto Assaf e Clóvis Martins - com cautela, pois este, por
sua vez, também contém equívocos.
Atualizado em 9/fev/2009.

Abaixo, uma das formações do Vasco (clique na foto-veja a escalação)


Neste dia 25 de dezembro vamos comemorar o dia de nosso Senhor Jesus Cristo Vivo. Feliz Natal e Boas Festas!
Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

RENÊ MENDONÇA - BOTAFOGO-RJ


Rêne Mendonça, ou melhor, Dr. Renê Mendonça, nascido em São João Nepomuceno no dia 1º de janeiro de 1921, era filho de Alda Henriques de Mendonça e Horácio Furtado de Mendonça. Sr. Horácio é um dos fundadores do Botafogo F.C de São João Nepomuceno e a praça de esportes do clube leva o seu nome.
Dr. Renê viveu em São João até os 12 anos de idade, depois mudou-se para Juiz de Fora onde estudou no Colégio Grambery. No início dos anos 40, já estava cursando Medicina na Cidade Maravilhosa, onde também jogava no futebol amador do Botafogo. Dr. Renê foi tri-campeão carioca pelo Botafogo, 42, 43 e 44 (amadorismo). O time campeão de 1942 jogou 34 partidas, neste campeonato e venceu 31, empatou 2 e perdeu apenas 1 partida, sendo que, Dr. Renê jogou 31 das 34 partidas disputadas, e marcou 43 gols dos 227 assinalados pelo Botafogo. O time campeão, Nei no gol, Mato Grosso e Dunga; Rui, Hélio e Cid; Oto, Armando, Augusto, Tovar e Renê.

O Botafogo foi bi-campeão em 1943 jogando 18 vezes com 16 vitórias, 1 empate e uma derrota. Dr. Renê participou de 16 jogos e marcou 6 dos 62 marcados. O time bi-campeão jogou com Boliviano, Alfredo e Dunga; Rui, Hélio e Cid; J.Américo, Tovar, Augusto, Otávio e Renê.

E o tri-campeonato veio em 1944 com 18 jogos, 15 vitórias, 2 empates e uma derrota. Dr. Renê colaborou em 7 partidas e marcou 13 dos 109 gols do Botafogo. Boliviano no gol, Alfredo e Dunga; Rui, Hélio e Cid, Afonsinho, Tovar, Gute, Otávio e Renê. Como podemos observar, Dr. Renê foi titular nas três conquistas do time da estrela solitária, e a formação era no 1-2-3-5.

Dr. Renê foi considerado o melhor ponteiro esquerdo do futebol carioca nos anos de 42, 43 e 44. Defendeu o Botafogo em diversos jogos pela América do Sul. Diplomou-se em Medicina pela antiga Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, na turma de 1947. Foi médico do clube nas décadas de 50, 60 e 70. No final dos anos 70, tive a honra de ser examinado por ele, onde acusou diagnóstico, exato, do meu problema.

Abaixo, uma foto histórica para São João Nepomuceno. Ano de 1945, Dr. Renê figurando entre os jogadores profissionais do Botafogo na disputa do campeonato carioca. De pé da esquerda para direita, Negrinhão, Laranjeiras, Sarno, Ari, Spinelli e Ivan. Agachados da esquerda para direita estão: Dr. Renê, Tovar, Dr. Heleno de Freitas, Elba de Pádua Lima “Tim” e Franquito.


Dr. Renê teve mais 4 irmãos, Nadina, Maria José Jacir e nossa querida Dona Iracema de Mendonça Fermo, viúva de Aymoré Fermo. Agradeço a Dona Iracema o carinho com que me recebeu em sua casa, onde tive preciosas informações sobre o Dr. Renê. Segundo Dona Iracema, quando TOVAR E PARAGUAIO estiveram aqui em São João, hospedaram em sua residência.

sábado, 11 de dezembro de 2010

“HÁ COISAS QUE SÓ ACONTECEM AO BOTAFOGO!” SERÁ?????




Na vida, necessitamos de motivação para o sucesso de qualquer atividade. Seja ela no trabalho, escola, sexo, lazer... Considerando que jogador de futebol, em sua grande maioria, tem o “nível intelectual” baixíssimo, este é o que mais necessita de motivação e um ótimo líder. Portanto, “há coisas que só acontecem com o Botafogo”, com certeza, não pelo destino e sim pela desatenção ou inocência de algumas lideranças. Por exemplo, no sábado, véspera da decisão de vaga na Libertadores, o técnico Joel Santana deu a seguinte declaração: “ fizemos uma ótima campanha “. Ora, como a maioria dos jogadores de futebol não têm noção do que representa para o clube, e principalmente para suas carreiras, a conquista de títulos e objetivos, com certeza, depois dessa declaração do Joel, pensaram que vencer o Grêmio já não era tão importante. Se o líder está dizendo que está bom, que motivação terá seus comandados?
Em resumo, o Grêmio venceu por 3x0, ficou na 3ª colocação, e está na Libertadores. O Botafogo, com a derrota, ficou em 6º e vai disputar a Sul Americana; mesmo torneio que disputará o Flamengo que ficou nas últimas colocações.

Ninguém é pré-destinado a nada. Nosso futuro é programado de acordo com nosso comprometimento, motivação e objetivos.

Infelizmente, o torcedor acaba atribuindo incompetência a lendas como: “HÁ COISAS QUE SÓ ACONTECEM COM O BOTAFOGO”.

2011 está aí, e o líder será o mesmo. O Botafogo FOI o campeão carioca de 2010. O grupo precisa de motivação como: o último bi-campeonato foi conquistado em 1989/1990, portanto, vocês também podem entrar para a história do clube...

Agora é com você Joel, porque se depender de jogador, sempre depois de cada derrota eles dirão: “ AGORA É LEVANTAR A CABEÇA E TRABALHAR DURANTE A SEMANA PARA VENCER O PRÓXIMO ADVERSÁRIO”.

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser.

EM TEMPO: a coluna de esportes NO GIRO DA BOLA com Nei Medina está imperdível. Acesse www.sjonline.com.br

sábado, 27 de novembro de 2010

CRUZEIRO = SÃO JOÃO NEPOMUCENO-MG

Talvez, São João Nepomuceno na Zona da Mata Mineira, seja a única cidade do Brasil, com menos de 30.000 habitantes, que cedeu mais jogadores para o time celeste. Em 1968 o Piorra esteve por lá (depois sagrou-se o 1º campeão da série B do campeonato brasileiro pelo Vila Nova-MG 1971).

Em 1986, ainda como goleiro do América-MG, Wellington Fajardo foi considerado o melhor goleiro do campeonato Mineiro e ganhou o Troféu Guará, depois Wellington defendeu as cores do Cruzeiro.



Também em 1986, Adil, o nosso Nica, esteve na Toca da Raposa. Na foto abaixo, jogando contra o Bahia, recebe a marcação do lateral Zanata.



Zé Luiz é outro atleta a defender o Cruzeiro, sendo artilheiro em todas as competições que dispoutou nas categorias de base. Em 1986 também era jogador profissional do Cruzeiro. Na foto abaixo, ainda na categoria de juniores, agachado, é o 3º da esquerda para direita.



Pablo foi o último reforço do Cruzeiro para o campeonato brasileiro de 2010. Depois de passar pelo Vasco, Zaragoza e Málaga, Pablo busca a sorte e é mais um representante no clube da Toca da Raposa.



E mais recente, na categoria Mirim está o Maicon. Artilheiro dos bons, é olhado com muito carinho pelos dirigentes do Cruzeiro. Já já teremos excelentes notícias a seu respeito.


Até a próxima se Deus quiser.

sábado, 13 de novembro de 2010

ÂNGELO RIGOLON - NO GIRO DA BOLA




Para quem não teve a oportunidade de ler o Jornal Voz de São João (edição do dia 13 de novembro), abaixo, estamos postando a entrevista, na integra, do ex-craque de futebol, o talentoso Ângelo Rigolon. Campeão da Zona da Mata Mineira,em 1978, defendo o Operário Futebol Clube, Anginho fala de momentos que marcaram sua vida.


CONVERSA DE BOLEIRO

Nome: Ângelo Augusto Rigolon
Apelido: Anginho
Casado com Maria Castro Freitas com quem tem dois filhos: Isaque e Gabriela(13 e 7 anos). Além do Moisés (19 anos) do primeiro casamento.
Filiação: Augusto Ângelo Rigolon e Leontina Alves de Castro
Local e data de nascimento: São João Nepomuceno, 14 de abril de 1949.

NGB – Começou a jogar em qual time e com que idade?
Anginho – No infantil do Botafogo, com 7 anos, sob o comando do já saudoso Netinho Soares. Detalhe: descalço, pois não tinha chuteiras.
NGB – Qual era sua posição?
Anginho – Atuava em todas. Eu queria era jogar. Mas fiz mais sucesso pela meia-direita
NGB – Qual foi seu melhor técnico?
Anginho – Tive bons treinadores, mas o Netinho Soares deixou saudades.
NGB – Havia treino durante a semana?
Anginho - Terça e quinta, também aos domingos quando não tinha jogo.
NGB – Qual seu melhor dirigente?
Anginho – Odoni Pavanelli, Hildefonso e José Carlos Santiago.
NGB – Qual o melhor jogador de sua época? Pode ser um ou mais.
Anginho - Zé Tumbuta, Louro, Duda e Zim Caeira .
NGB - Em quais clubes atuou?
Anginho - Mangueira, Botafogo, Operário, Manufatora de Cataguases ...
NGB - Quantos títulos conquistou?
Anginho - 10 a 12 títulos.
NGB – Campeão da Zona da Mata em 1978 foi o mais importante?
Anginho - Sim, marcou muito. Na na decisão, contra o Leopoldina de Bicas, marquei um gol que vou lembrar pro resto da minha vida. Também, dei o passe para o Weber marcar o outro.
NGB - Qual o melhor árbitro de sua época?
Anginho - Silveirinha.
NGB - Compare o futebol de hoje com o período em que jogou.
Anginho - Hoje o futebol é mais força física. Na minha época os mais talentosos se destacavam.
NGB - Como era a relação dos torcedores com os atletas?
Anginho - Ótima, mas cobravam muito. Eles acompanhavam até os treinamentos
NGB - Qual o melhor adversário que enfrentou fora de São João?
Anginho - Ribeiro Junqueira de Leopoldina. No campeonato da Zona da Mata 78, vencemos por 1 a 0 gol do Samaroni.
NGB – E qual o adversário que sempre incomodou?
Anginho - XV de Novembro de Rio Novo, mas os campos, ainda, eram os piores adversários.

*** NGB – No Giro da Bola.




Time do Operário, campeão da Zona da Mata Mineira em 1978.
De pé: Ademir(da lalá), Deco(casarão), Boti, Lema, Maurício"blunel" e Wellington Itaboray.
Agachados: Anginho, José Carlos"orelhinha", Weber, Zinho"caeira" e César.

domingo, 7 de novembro de 2010

51 ANOS SEM O CRAQUE GALÃ - HELENO DE FREITAS



Nascido em São João Nepomuceno no dia 12 de fevereiro de 1920, Heleno de Freitas faleceu em 08 de novembro de 1959. Portanto, neste 08 de novembro de 2010 estamnos completando 51 anos sem o "galã de chuteiras".
Craque, mito, técnico, habilidoso, craque galã... Inúmeros foram os adjetivos dados ao nosso conterrãneo mais ilustre. Jogador do Botafogo-RJ entre os anos de 1940 e 1947, Heleno nunca foi campeão vestindo a camisa alvinegra. Estreou em 28 de abril de 1940, em São Januário, entrando no intervalo do jogo para substituir Carvalho Leite, o maior artilheiro do Botafogo de todos os tempos. O jogo contra o São Cristóvão estava zero a zero e treminou 2 a zero para o Fogão com 2 gols do Heleno.
Em 1944, era o capitão da equipe e o principal jogador do Clube da Estrela Solitária. Neste mesmo ano, teve sua 1ª convocação para seleção brasileira. Também em 44, participou da histórica partida em que o Glorioso venceu o Flamengo pelo placar de 5 a 2. Heleno marcou 2 gols neste jogo (10/09/1944), que ficou conhecido como o JOGO DO SENTA(jogo do senta, porque o jogo foi encerrado aos 31’ do 2° tempo, por causa dos protestos dos jogadores do Flamengo após o quinto gol do Botafogo marcado por Geninho. Os jogadores rubro-negros acreditavam que a bola não entrara e sentaram em campo). E a torcida do Botafogo gritava: "senta para não perder de mais".
Em 1945 disputou o Sul Americano em Santiago do Chile. O Brasil não foi campeão, mas Heleno foi o artilheiro do Brasil num ataque poderoso que contava, além do Heleno, com: Tesourinha (Inter-RS), Zizinho (Flamengo), Jair da Rossa Pinto e Ademir de Meneses (ambos do Vasco da Gama).
Voltou a se destacar no Sul Americano da Argentina(1946). Na maior transação financeira envolvendo um jogador de futebol até aquela data, em 1948, Heleno foi vendido ao Boca Juniors da Argentina. Sua estréia foi em junho de 1948, na oitava rodada do campeonato Argentino. O Boca venceu o Banfield Atletico Clube por 3 a zero e Heleno marcou 2 gols. Ao final da partida os torcedores ao invés de gritar boca, boca, boca, gritava Heleno, Heleno, Heleno.
Em 1949, volta ao Brasil para ser campeão carioca pelo Vasco da Gama, no famoso "Expresso da Vitória". Em 1950 defende o Atlético Júnior Barrranquilla da Colômbia.
Retorna ao Brasil em 1951 para fazer um único treino no Santos e posteriormente ser contratado pelo América-RJ. Estreou no "Mequinha" em 04 de novembro de 1951 contra o São Cristóvão. A América perdeu por 3 a 1, e foi a 1ª e última vez que Heleno vestiu a camisa do América; e também, a 1ª e única vez que pisou no gramado do maracanã como jogador profissional.

"HELENO DE FREITAS FOI MEU MAIOR ÍDOLO, MESMO NUNCA TÊ-LO VISTO JOGAR". Márcio Guedes - Jornalista.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

ORQUESTRA ELDORADO - ORGULHO DA GARBOSA



Bons tempos! Bailes com orquestras; espetaculares orquestras. Aqui em São João Nepomuceno, a Orquestra Eldorado iniciou suas atividades nos anos 40. Meu Tio, João Baptista Furlan, músico, arranjador e pistonistas dos melhores, começou sua carreira na na Orquestra Eldorado no início dos anos 50 com apenas 17 anos. Orgulhoso, me conta muitas histórias relacionadas à Orquestra. Diz que na antiga linha férrea, de Ponte Nova ao Rio de Janeiro, a Orquestra tocou em praticamente todas as cidades. Além do Carangola Tênis Club, Petropolitano, Hotel Quitandinha, São Paulo, Uberlândia...
Um fato marcante foi se apresentar(anos 50) no Petropolitano, sábado de carnaval. A capital da República era o Rio de Janeiro, e nesta época, era costume fazer 4 bailes de Gala: sábado no Petropolitano; domingo no Hotel Glória; segunda no Hotel Quitandinha e finalmente na terça no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.
Isso mesmo! Uma Orquestra de São João Nepomuceno tocando músicas de carnaval para a elite dos Políticos e sociedade Fluminense.

Outro fato marcante mas lamentável, foi recusar o convite para se apresentar na Sede Social do Fluminense em Álvaro Chaves. Os compromissos agendados anteriormente impossibilitaram que o Tricolor João Furlan fechasse este contrato. A Orquestra era muito solicitada.

Em resumo, com Heleno de Freitas, Alírio Guazi(Fluminense), Helenize de Freitas(Makienze e Seleção Brasileira de Volei),Rubens Paixão (treinador de Futsal - Grajaú e Seleção Carioca), Piorra, Simão, Wellington Fajardo, Adil(Corinthians), Ayupe(Vasco), Zé Luiz(Cruzeiro), Herilene de Freitas (natação), Emmerson Nogueira, Ricardo Itaboray, Pablo(Cruzeiro), Ricardo Sporch(bicicross), Osni Júnior(motocross) e tantos outros, antes de todos estes, a Orquestra Eldorado tocava, cantava e encantava milhares de brasileiros.

Na foto que ilustra este blog vemos: rui Barbosa na sanfona; José do Baixo no baixo, Sr. Jura e João Furlan no Sax, Noé e José Carlos Furlan no Piston, João "mamão" Erasmo no trombone, Pisca no violão, entre outros.

Clique na foto e veja em tamanho maior.

Até a próxima com a Graça de Deus.

COM A GRAÇA DE DEUS, EM BREVE ESTAREMOS NO CENTENÁRIO JORNAL VOZ DE SÃO JOÃO.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

FUTEBOL! SERÁ QUE EU É QUE MUDEI?




Realmente, sou nostálgico. Lembro-me quando comecei a torcer pelo Glorioso Botafogo (1976). No time: Nílson Andrade; Miranda, Carbone, Mário Sérgio, Marco Aurélio Dodô, Nílson Dias, Tiquinho ... Um elenco modesto, mas com amor ao clube, com raça, e, principalmente, respeito ao torcedor. Mesmo com o Perivaldo fazendo cruzamentos por trás do gol, o torcedor aplaudia seu esforço em acertar. Olha que ele chegou a vestir a "amarelinha" em 1981(o titular era o Leandro do Flamengo). Além do Peri da Pituba, saudades do Rodrigues Neto, Carbone, Paulo César "Caju", Nílson Dias, Dé "o aranha" e Mário Sérgio (Botafogo). Júlio César "urigueller", Adílo "o neguinho da cruzada", Zico "o galinho" e o artilheiro Cláudio Adão(Flamengo). Edinho, Carlos Alberto "Pintinho", Gil, Manfrini, Gilson "o Gênio", Zezé (Fluminense). Mazaroppi, Orlando "lelé", Zandonaide e Roberto "Dinamite" (Vasco). E o América com Paiz, Alex, Álvaro, Ivo, Bráulio, Luisinho ...

Sou do tempo em que as torcidadas organizadas, 30 minutos antes do início das partidas, entravam do lado oposto as cabines com maravilhosas bandeiras, gigantescas. Os times entravam correndo no gramado do Maraca; isso inflamava a torcida. O Flamengo saía do túnel indo em direção da sua torcida que ficava, e fica até hoje, a esquerda das cabines de rádio do maior estádio do mundo. Atualmente, os jogadores entram em campo lentamente, sem entusiasmo. Está certo que este procedimento tem uma causa justa, pois as crianças são contempladas.

Mas... a verdade é que, só não desanimei de acompanhar futebol porque meu filho, hoje com 16 anos, veio com a corda toda, assumindo um velho ditado popular: " Amor que passsa de Pai para Filho". Sendo assim, vamos torcendo para melhores dias no futebol, em especial para o Botafogo de Futebol e Regatas.

Até a próxima, com a Graça de Deus.

domingo, 24 de outubro de 2010

COMENTARISTA DE ARBITRAGEM NA TV




Com mais de 18 câmeras espalhadas por todo o estádio, tirando qualquer dúvida do telespectador, qual a utilidade do comentarista de arbitragem nos jogos transmitidos pela TV ? Na Globo, por exemplo, depois do diretor de imagens repetir o lance por várias vezes, o locutor chama o José Roberto Wrigth e pede sua opinião. Ora, depois de tantas reprises, já tiramos nossa dúvida. Portanto, não precisa do comentário do Wrigth. E diga-se de passagem, dos atuais cometaristas de arbitragem, o José Roberto é o mais confuso; a cada lance reprisado, ele muda de opinião.

Na verdade o comentarista de arbitragem da TV é muito parecido com o MARRONE fazendo a 2ª voz na dupla BRUNO E MARRONE: não acrescenta nada!

Uma boa idéia, é doar o cachê destes profissionais, para uma entidade filantrópica.




Abraço a todos e até a próxima com a Graça de Deus.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

PELÉ, 1º GOL COM A CAMISA DO SANTOS



Olá amigos! Na matéria de hoje, reproduziremos o texto do competente Marcelo Monteiro, publicado em seu blog - Memória E.C.- da globo.com, onde destaca o 1º gol marcado por Pelé com a camisa do Santos.


" Zaluar: o goleiro que sofreu o primeiro gol de Pelé. E festejou.

Sofrer um gol é motivo de lamento para qualquer goleiro. Ainda mais se ele ocorrer em uma goleada. De 7 a 1. Mas para um arqueiro em especial, um tento sofrido virou fonte de orgulho. E virou marca registrada. Destacada até no cartão de visita.

Zaluar era o goleiro reserva do Corinthians de Santo André em 7 de setembro de 1956. Naquele dia, o time do ABC paulista enfrentou o Santos em um amistoso no estádio Américo Guazelli, em Santo André. O goleiro iniciou o jogo no banco e entrou em campo durante a partida. Com a missão de tentar evitar um prejuízo maior para o time da casa diante de jogadores como Jair Rosa Pinto, titular da seleção na Copa de 50, Del Vecchio, Zito e Tite.

E de um menino de 16 anos, que, como ele, entrou no gramado durante a segunda etapa. Para disputar sua primeira partida pelo time principal do Peixe. Um menino chamado Edson Arantes do Nascimento, que substituiu o experiente Del Vecchio quando o placar já indicava 5 a 0 para o Alvinegro Praiano.
Aos 36 minutos, o zagueiro santista Hélvio disputou um lance pelo alto e a bola sobrou na altura do meio-campo para Pelé. O adolescente dominou a pelota, arrancou, passou pelo volante Schank, driblou mais um marcador, invadiu a área e tocou a bola por baixo das pernas do goleiro. Que era … Zaluar. Era o sexto gol do Santos naquele dia. E o primeiro da carreira profissional do jovem que, menos de dois anos depois, seria peça fundamental para que o Brasil conquistasse pela primeira vez o título mundial, na Suécia.
Com o tempo, Zaluar percebeu que havia participado de um momento histórico. E fez questão de divulgar isso até falecer, em 1995. Para quem lhe procurava, entregava um cartão de visita em que constava não apenas o seu nome completo: Zaluar Torres Rodrigues. Este vinha acompanhado de um complemento: “o goleiro que levou o primeiro gol de Pelé’. No canto esquerdo, o escudo do São Paulo, o seu time de coração.
E nas peladas de veteranos que disputava, usava um uniforme especial. Personalizado. Com o seu nome na parte da frente acompanhado da inscrição “Goleiro Rei Pelé 0001″.
Nunca um goleiro gostou tanto de ter levado um gol. Não um gol qualquer. Mas o número 1 dos 1.284 marcados por Pelé em sua carreira.

Corinthians de Santo André 1 x 7 Santos
Data: 7 de setembro de 1956
Local: Estádio Américo Guazelli (Santo André-SP)
Juiz: Abílio Ramos
Corinthians de Santo André – Antoninho (Zaluar); Bugre e Chicão (Talmar); Mendes, Zico e Schank; Vilmar, Cica, Teleco (Baiano), Rubens e Dore. Técnico: Jaú.
Santos – Manga; Hélvio e Ivan (Cássio); Ramiro (Fioti), Urubatão e Zito (Feijó); Alfredinho (Dorval), Álvaro (Raimundinho) e Del Vecchio (Pelé); Jair e Tite. Técnico: Lula.
Gols: Alfredinho (30), Del Vecchio (32), Álvaro (36), Alfredinho (41), Del Vecchio (61), Pelé (81), Vilmar (86) e Jair (89)."

Neste sábado, com a Graça de Deus, nosso Pelé estará completando 70 anos de vida.

Até a próxima, se Deus quiser.


NO GIRO DA BOLA - www.sjonline.com.br

ARQUIVO ESPORTIVO - www.descobertonet.com.br

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

EMPRESÁRIOS x CLUBES



No programa Bem Amigos deste dia 11 de outubro, o técnico Vanderlei Luxemburgo "levantou a bola" sobre a interferência dos empresários nos clubes de futebol. Em linhas gerais, disse o seguinte: "hoje em dia, o atleta não se preocupa com a pressão sofrida ao vestir a camisa deste ou daquele time. Ele sabe que, se não for bem neste ou naquele clube, o empresário coloca-o em outro".

Realmente, estamos cansados de assistir verdadeiras malas vestindo a camisa de grandes clubes, principalmente brasileiros, que na verdade fazem uma espécie de vitrine, para depois arrumarem uma transferência internacional. Na foto que ilustra o blog de hoje, um exemplo do que estamos falando. Da esquerda para direita, o 2º de pé, é o atacante Sul-africano Mark Frank Williams, que no final de 1996, teve uma passagem relâmpago pelo Parque São Jorge. Partiu sem deixar saudades.

Williams disputou apenas três partidas pelo Timão, duas como titular. Ele estreou contra o Bahia, no dia 13 de novembro de 1996. Entrou no segundo tempo, no lugar de Romerito. Depois, jogou contra o Goiás e contra o Coritiba. Após o Brasileirão, foi embora. Na foto acima estão de pé, da esq. p/ dir.: Henrique, Mark Frank Willians, Ayupe (São João Nepomuceno), Romerito, Célio Silva e Marcelo. Agach. Silvinho, Mirandinha, Marcelinho Carioca, Marcelinho Paulista e Lindomar.

Além de jogar no Corinthians, Mark Williams passou pelo Wolverhampton Wanderers (Inglaterra), Chongqing Lifan (China), Qingdao Zhongneng (China) and RWDM (Belgium). Depois, passou a se dedicar ao futebol de areia.

Fica a pergunta: com tantos empresários dominando os clubes, empurrando guela abaixo jogadores de baixo nível técnico, COMO FICA O TORCEDOR?

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser.

NO GIRO DA BOLA com Nei Medina - www.sjonline.com.br e
ARQUIVO ESPORTIVO www.descobertonet.com.br

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

DUNGA NO TIMÃO?



Com a saída de Adilson Batista, o Corinthians está a procura de um novo treinador. O nome de Carlos Alberto Parreira foi muito comentado, pois sua passagem no comando do Timão foi muito positiva, mas o próprio Parreira disse que não tem interesse em assumir, qualquer clube, neste ano de 2010. Como a maioria dos técnicos, "top", estão empregados, restou ao Corinthians o nome de Dunga, ex comandante da seleção brasileira. Será que a Fiel concorda com este nome? Dunga tem identificação com o Corinthians, pois foi atleta do clube, e além disse, trabalhou com Andrés Sanches na seleção brasileira.
Modestamente, acredito que o melhor nome para o Coringão seja o de Abel Braga.
Enquanto o novo técnico não é contratado, o Corinthians resolverá o problema com uma solução caseira. Assume o cargo, interinamente, Fábio Carille que foi auxiliar de Mano Meneses no próprio Timão.

Abraço a todos e até a próxima com a Graça de Deus.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

BOTAFOGO HOSPITAL E REGATAS



Como torcedor alvinegro, há muito tempo não via um Botafogo com um elenco tão bom. Em compensação, nenhum time suporta tantas baixas como vem acontecendo, com o Glorioso, neste campeonato brasileiro. Depois da Copa, o Botafogo alcançou as primeiras colocações, mas a partir da 20ª rodada o elenco passou a sofrer com seguidas contusões. Normalmente, nos demais clubes, a maioria das lesões afastam os atletas por alguns dias, mas como no Botafogo tudo é diferente, o Maicossuel, Fábio Ferreira e Herrera estão fora do campeonato deste ano; além do Marcelo Matos, Jobson, Marcelo Cordeiro e Alessandro que ficaram fora do time por mais de 15 dias.

Como diz o locutor esportivo César Rizzo: " aguenta coração alvinegro!"

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

"TORCEDOR TEM MESMO MEMÓRIA CURTA?"




A maioria dos ex-atletas entram em disputas eleitorais acreditando no prestígio que adquiriu junto aos torcedores dos clubes por onde passou. Mas as eleições-2010, mais uma vez, provaram que o "torcedor tem memória curta" ou está muito bem esclarecido.
Um exemplo é o Valdir Espinosa. Técnico campeão carioca em 1989, tirando o Botafogo de um jejum de 21 anos. A façanha não foi suficiente para que o torcedor alvinegro retribuísse a gentileza.





SAIBA COMO FOI A ELEIÇÃO DE ALGUNS ATLETAS
Cargo Número de votos Situação
Danrlei Deputado Estadual-RS 173.787 (3,14%) Eleito
Marques Deputado Estadual-MG 153.225 (1,67%) Eleito
Romário Deputado Federal-RJ 146.859 (1,97%) Eleito
Marcelinho Carioca Deputado Federal-SP 62.397 (0,33%) Não foi eleito
Popó Deputado Federal-BA 60.216 (1,01%) Não foi eleito
Bebeto Deputado Estadual-RJ 28.328 (0,38%) Eleito
Dinei Deputado Estadual-SP 18.275 (0,10%) Não foi eleito
Vampeta Deputado Federal-SP 15.300 (0,08%) Não foi eleito
Pampa (vôlei) Deputado Federal-SP 7.342 (0,04%) Não foi eleito
Túlio Maravilha Deputado Estadual-GO 4.526 (0,17%) Não foi eleito
Maguila Deputado Federal-SP 2.951 (0,02%) Não foi eleito
Valdir Espinosa Deputado Estadual-RJ 2.292 (0,03%) Não foi eleito
Rebeca Gusmão Deputado Distrital-DF 437 (0,03%) Não foi eleita
Harlei Deputado Estadual-GO 167 (0,01%) Não foi eleito.

Abraço a todos e até a próxima.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

SILAS DESABAFA E ESTÁ FORA DO FLA


de pé: Oscar, Gilmar, Falcão, Dario Pereira, Nelsinho e Zé Theodoro. Agachados: Muller, Silas, Careca e Sidney. Este time ainda contava com Pita que não saiu na foto.


Na verdade, Silas fez ecoar a voz do torcedor, que já não aguenta mais ver tanta falta de técnica e habilidade por parte dos atletas.
Com partidas duas vezes por semana, os jogadores não treinam. Portanto, não conseguem melhor seus desempenhos. São faltas e escanteios mal cobrados, além de inúmeros passes errados. Ontem, no jogo entre Botafogo e Corinthians, o lateral alvinegro Marcelo Cordeiro desperdiçou duas ótimas chances de gol ao cobrar faltas na lateral da área jogando a bola direto para linha de fundo. Ora, em jogos onde são raras as oportunidades, e quando aparecem o atleta faz um papel ridículo, realmente o treinador acaba perdendo o controle. Está certo que o Silas não poderia dar esse depoimento: " não faço gol contra e nem perco gols", mas devemos dar um desconto, pois, Silas (como mostra a foto que ilustra este blog) jogou ao lado de craques como Dario Pereira e Oscar (zaga) e Muller e Careca (ataque), e hoje ter que aguentar Jean e David é dose para mamute.

Caso o Silas não caia até a próxima rodada (o que acho difícil, pois o Luxa já foi contactado) ele terá mais uma chance, já que o meu Botafogo adora, usarei um pleonasmo, "ressuscitar os falecidos".

Abraço a todos e até a próxima, com a Graça de Deus.

sábado, 25 de setembro de 2010

BOTAFOGO CAMPEÃO DESDE 1910


De pé: goleiro Coggin (goleiro passou a usar camisa diferente dos demais jogadores a partir de 1912), Edgard Pullen e Dinorah. De joelhos: Rolando de Lamare, Lulu Rocha e Lefévre. Sentados: Emmanuel Sodré, Abelardo de Lamare, Décio Viccari, Mimi Sodré e Lauro Sodré.


Há exatamente 100 anos, 25 de setembro de 1910, o Glorioso Botafogo conquistava o título carioca, com uma rodada de antecedência, aplicando uma sonora goleada de 6 a 1 no tricolor das Laranjeiras, o Fluminense.

O título deste blog está na letra do hino alvinegro: Botafogo, Botafogo, campeão desde 1910... Mas em 1996, a conquista de 1907 foi oficializada. Portanto, o Fogão é campeão desde 1907.

Abaixo, reproduzirei parte do texto do jornalista Marcelo Monteiro que escreve um blog (Memória E.C) publicado, hoje, dia 25 de setembro, no globoesporte.com

"A campanha do Botafogo há cem anos começou com um tropeço: derrota para o América por 4 a 1. Mas a partir da segunda rodada, a equipe fez uma campanha impecável, vencendo os nove jogos restantes, demonstrando um grande poder ofensivo. Em dez partidas, foram 66 gols marcados e apenas nove sofridos.

Goleadas não faltaram. A maior vitíma foi o Riachuelo, que perdeu por 9 a 1 no primeiro turno. E sofreu uma derrota ainda maior no returno: Botafogo 15 a 1. Com direito a sete gols de Abelardo de Lamare.

O atacante foi o artilheiro da competição, com 22 gols. Três marcados no jogo decisivo contra o Fluminense, disputado no antigo campo localizado na Rua Voluntários da Pátria. Décio Viccari (dois) e Mimi Sodré marcaram os outros tentos alvinegros. Lulu Rocha fez, contra, o gol de honra do Flu.

No dia seguinte, manchetes na imprensa carioca destacavam o feito do Botafogo, chamando-o de “Glorioso campeão de 1910″. Surgia então, há 100 anos, o apelido que acompanha o clube até hoje.

Campanha do Botafogo no Carioca de 1910

Jogos – 10
Vitórias – 9
Derrota – 1
Gols pró – 66
Gols sofridos – 9
Saldo de gols – 57

22/5 – América 4 x 1 Botafogo
5/6 – Botafogo 9 x 1 Riachuelo
26/6 – Fluminense 1 x 3 Botafogo
3/7 – Botafogo 7 x 0 Haddock Lobo
10/7 – Botafogo 6 x 0 Rio Cricket
7/8 – Rio Cricket 0 x 5 Botafogo
4/9 – Riachuelo 1 x 15 Botafogo
11/9 – Botafogo 3 x 1 América
25/9 – Botafogo 6 x 1 Fluminense
2/10 – Haddock Lobo 0 x 11 Botafogo

Jogo do título:

Botafogo 6 x 1 Fluminense

Data: 25/9/1910
Local: Rua Voluntários da Pátria
Árbitro: A. W. Hassell
Gols: Abelardo de Lamare (3), Décio Viccari (2), Mimi Sodré (Botafogo) e Lulu Rocha (contra)
Botafogo: Coggin, Edgard Pullen e Dinorah; Rolando de Lamare, Lulu Rocha e Lefévre; Emmanuel Sodré, Abelardo de Lamare, Décio Viccari, Mimi Sodré e Lauro Sodré.
Fluminense: Waterman, Ernesto Paranhos e Félix Frias; Nery, Gallo e Mutzenbecher; Millar, Oswaldo Gomes, Edwin Cox, Gilbert Hime e Alberto Borgerth.

Classificação:

1) Botafogo – 18 pontos
2) Fluminense – 15
3) América – 14
4) Riachuelo – 6
5) Rio Cricket – 5
6) Haddock Lobo – 2 ".

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

DORIVAL JÚNIOR, PARABÉNS!



Será que a presidência do Santos tomou a medida certa ou foi o mal que venceu o bem?
Nos anos 90, vi os jogadores Romário(Flamengo) e Edmundo(Palmeiras) apontarem dedo e brigar, verbalmente, com o técnico, Wanderlei Luxemburgo, que na oportunidade comandava os respectivos clubes. Sendo que nenhum dos dois foi punido. E pior, além de ser ofendido verbalmente, após 30 dias, perdeu o cargo de treinador.
Quando Dorival puniu o Neymar, acreditava e acredito que ele tomou a melhor decisão, pois, existe uma hierarquia que deve ser respeitada, além da conduta, ética, que todo ser humano deve ter. Não há dúvidas que o atleta tem um potencial enorme. Neymar é habilidoso, rápido, inteligente, mas por outro lado, também, passa uma imagem de jogador “mascarado, desagregador, articulador de grupinhos e conseqüentemente, derrubador de técnicos”.
Infelizmente, Dorival foi punido depois um período vitorioso no comando técnico do Santos. Números do treinador, campeão da Copa do Brasil e do Paulistão:
61 jogos
37 vitórias
08 empates
16 derrotas
Aproveitamento de 65%.
Que as belas jogadas de Neymar sejam exemplos para os atletas e torcedores mais jovens, mas nunca seu comportamento com seus colegas de equipe e comando.
Até a próxima com a Graça de Deus.

domingo, 19 de setembro de 2010

JOSUÉ ROCHA - DEBUTANTE




Comemorando 15 anos de academia em São João Nepopmuceno, o nosso campeão de Karatê Josué da Silva Rocha deu um presente à comunidade Saojoanense. Professor Josué pomoveu um torneio reunindo 220 atletas de diversas cidades como: Goianá, Rio Novo, Cataguases, Leopoldina, Juiz de Fora, Descoberto, Bicas, Viçosa, além de São João, como mostra a foto abaixo.




Mais detalhes deste evento e da vitoriosa trajetória do nosso campeão, você verá na próxima edição da coluna de esportes NO GIRO DA BOLA no portal www.sjonline.com.br

Abraço e até a próxima se Deus quiser.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

VASCO - NÃO PERDE MAS TAMBÉM NÃO GANHA.



O torcedor cruzmaltino está se perguntando: será que a campanha do Vasco é melhor que a do Flamengo, Atlético-GO, Goiás e Atlético-MG?
O desempenho de PC Gusmão frente a equipe vascaína é bem parecido com Zagallo na sequência invicta do Botafogo com 52 jogos, ou seja, uma instabilidade "falsa"; um time que não perde mas também não ganha.
A foto que ilustra este blog mostra Gusmão fazendo o V da vitória, mas, com certeza, o torcedor do Machão da Gama está com "a pulga atrás da orelha" e ensaiando uma pressão pra cima do técnico e seus comandados.

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

FAHEL - UM É MUITO, DOIS É DEMAIS



Depois do jogo contra o São Paulo, fiz questão de elogiar a atuação do Fahel. Jogador que sempre critiquei, juntamente com Alessandro, Lúcio Flávio, Túlio Souza, Vítor "impedimento" Simões... Mas, ontem, na derrota de 4 a 1 para o Goiás, o Fahel voltou a apresentar aquele futebol medíocre, com muitos passes errados, somente bolas para o lado, além de um gol contra (atrapalhou o Jeferson). "A esmola quando é demais o Santo desconfia!" Contra o São Paulo foi bom demais, mas como disse neste mesmo blog, dias atrás "espero que daqui pra frente o Fahel apresente um futebol digno das tradições da Gloriosa camisa alvinegra". Mas, infelizmente, tudo voltou ao normal. Como a foto que ilustra este blog, o futebol do Fahel tem dois comportamentos, um dia se apresenta como um jogador voluntarioso, em outro como um "cabeça de bagre".

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

CAIO, O TESOURO ALVINEGRO!



Costumo dizer que a melhor matéria prima do Brasil é jogador de futebol(material humano); em cada esquina se encontra um. Mas jogador talentoso e inteligente não se encontra todo dia. E o Caio é um deles, além de muita habilidade, rapidez e dribles curtos, é um jogador inteligente que tem visão de jogo.

Com origem em Volta Redonda, iniciou sua trajetória no Recreio do Trabalhador, na Fundação CSN. Contratado para jogar na base do Botafogo, rapidamente se destacou entre os juniores. No Carioca deste ano, foi peça fundamental para a conquista do Título Estadual. Aí fico me perguntando: qual estratégia o Botafogo está utilizando para preservar esta "jóia"? Será que existe um trabalho psicológico, nutricional, ganho de massa muscular...

Alô Botafogo! O espetáculo está pedindo socorro. Vamos preservar nossos artistas, porque "cabeças de bagre" tem aos montes.

Até a próxima, com a Graça de Deus.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

ALESSANDRO E FAHEL: HOJE, ELOGIOS.



Nos últimos anos, de 10 mensagens que envio aos programas de Rádio e TV, 9 são criticando Alessandro e o Fahel. O Alessandro sempre se mostrou um lateral que desconhece o fundamento básico do futebol que é o passe, marca muito mal e não consegue executar um único bom cruzamento. O Fahel não perde para ele. Volante que só joga para os lados e para trás.

Mas no jogo de ontem, contra o São Paulo, na bela vitória do Fogão, fiquei surpreso com a belíssima atuação de todo o time, inclusive da dupla Alessandro / Fahel. Não que os dois estiveram brilhantes mas, jogaram a altura de atletas profissionais, em condições de envergarem a Gloriosa camisa alvinegra. Parabéns Alessandro e Fahel! Que suas atuações no jogo deste domingo, signifique a volta por cima, dos atletas mais criticados pela torcida do Botafogo nos últimos anos.

Até a próxima, com a Graça de Deus.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

EMPRESÁRIOS NO FUTEBOL - "Uma História do arco da velha".

Para quem acredita que a ação dos empresários no futebol é coisa dos dias atuais, veja a reportagem, abaixo, publicada pelo site globo.com no dia 08 de setembro de 2010.


"Brasil Afora: Bela Vista, de Sete Lagoas, lotou Bernabéu contra o Real
Conheça a história do pequeno clube do interior de Minas Gerais, que encarou o galáctico time de Di Stefano em excursão confusa pela Europa
Por Marco Antônio Astoni Sete Lagoas, MG




Em 1958, na Suécia, o Brasil conquistou sua primeira Copa do Mundo e fez o planeta se encantar com o futebol vistoso de Pelé, Garrincha, Didi, Vavá e companhia. O que fez o Real Madrid, então tricampeão europeu, convidar o campeão brasileiro daquele ano para um amistoso no grandioso estádio Santiago Bernabéu. Com toda a publicidade feita – por cartazes, comerciais em programas de rádio e em carros de som pela cidade –, o estádio abriu suas portas para um público de aproximadamente 80 mil pessoas, que viu o esquadrão de Di Stéfano, Puskas, Gento, Kopa, Santamaria e Rial enfrentar aqueles que supunham ser o melhor time do Brasil. E em uma tarde fria do outono espanhol, eis que surge no gramado a brava equipe brasileira, formada por: Ademar; Isaías, Gaia, Toledo e Edésio; Salvatore, Murilinho, Waldir Nenezão e Assis; Marinho e Baiano. Comandando o time, no banco de reservas, o técnico Orlando Rodrigues... do Bela Vista!
Quem? Se os brasileiros presentes ao estádio não faziam ideia de quem estava no time, imaginem os espanhóis. A dúvida tinha razão de ser. Afinal, o time de camisas verdes em campo era o desconhecido Bela Vista Futebol Clube, de Sete Lagoas, cidade a 70 quilômetros de Belo Horizonte. Diferentemente do Santos de Pelé, do Botafogo de Garrincha ou mesmo dos colegas de estado Atlético-MG e Cruzeiro, um clube sem glórias. O time só disputaria seu primeiro Campeonato Mineiro na volta da viagem à Europa.
Empresário
Assim como hoje, os empresários já atuavam no futebol. E o Brasil, distante da Europa, era um prato cheio para os grandes golpes em uma época sem internet e com comunicação precária. Um tal Fauszlinger, que a maioria supunha ser alemão e desconhecia o primeiro nome, acertou 30 jogos para o Bela Vista na Europa, com cota razoável para o time mineiro. Com isso, apresentar o desconhecido clube de Sete Lagoas como campeão brasileiro era golpe fácil de aplicar, se feito de forma rápida e eficaz. Fauszlinger, após acertar o jogo com o Real Madrid, fez grande campanha pela cidade e conseguiu mobilizar a opinião pública e lotar o Santiago Bernabéu.
Mas o fato é que o Bela Vista não se intimidou e não fez feio. O jogo foi duro, e os merengues só venceram por 2 a 1, com um gol marcado por Gento nos minutos finais. Não se sabe se os bicampeões europeus jogaram receosos por enfrentarem o 'campeão brasileiro' ou se o Bela Vista realmente deu trabalho ao poderoso Real Madrid.
Aventura na Europa
Após o bom desempenho frente aos espanhóis, o Bela Vista seguiu para a França, onde os problemas da delegação na Europa começaram. Depois da derrota por 3 a 1 para o Olympique, em Marselha, alguns diretores do clube e o técnico Orlando Rodrigues foram ao hipódromo da cidade, de onde saíram apenas por poucas horas nas semanas seguintes. Com comando esfacelado, excesso de partidas marcadas e jogadores soltos em um mundo totalmente desconhecido e repleto de prazeres, a derrocada do Bela Vista em gramados europeus era questão de tempo.
O time ainda tinha jogos marcados na Itália, Suíça, Alemanha Ocidental, Alemanha Oriental, Holanda, Dinamarca e Inglaterra. E cumpriu a maioria deles, mesmo com baixas no elenco. Os jogadores Assis e Marinho, por exemplo, aceitaram propostas de times europeus e deixaram a delegação.




Mesmo com todos os percalços, o Bela Vista seguiu pelo velho continente, fazendo jogos duros com times tradicionais, como Grasshoper, da Suíça (1 a 1), Bologna, da Itália (2 a 3) e Hamburgo, da Alemanha (0 a 1).
O golpe fatal ao nome do clube veio na partida contra o Newcastle, da Inglaterra, no St. James Park. Totalmente desfigurado e com o zagueiro Gaia fazendo as vezes de técnico, roupeiro e capitão, o time sofreu impiedosos 12 a 1. A goleada gerou preocupações no CND (Conselho Nacional de Desportos) e no próprio Itamaraty, que exigiram a volta do Bela Vista ao Brasil, para não 'sujar o nome do futebol brasileiro no exterior'.
O Bela Vista ainda fez mais quatro jogos – quatro derrotas – antes de voltar ao Brasil para a disputa do Campeonato Mineiro de 1958. Na bagagem, um saldo de 24 jogos, com três vitórias, dois empates e 19 derrotas. O time fez 29 gols e sofreu 74 em gramados europeus.




O lateral-esquerdo Edésio chegou ao Bela Vista especialmente para a excursão à Europa. E, curiosamente, nunca mais deixou Sete Lagoas.
Nascido em Barra do Piraí, interior do Rio de Janeiro, começou a carreira no Royal, de sua cidade natal. Depois passou por América-RJ e Vasco, onde jogou ao lado de grandes nomes do futebol brasileiro, como o goleiro Pompeia e o zagueiro Djalma Dias, campeões cariocas em 1960, e Ademir Menezes, artilheiro da Copa do Mundo de 1950, já em fim de carreira.
Funcionário aposentado da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Edésio se lembra com detalhes da viagem à Europa.
- A gente viajou em um bimotor da Panair. Parou em Dacar, seguiu para Portugal, e, de lá, direto pra Espanha. Fomos todos para uma tourada, bem interessante. Lembro-me também de quando estávamos na Alemanha, perto do Muro de Berlim. Havia fotos de várias pessoas que morreram na guerra e no meio delas tinha uma do Garrincha, que ocupava um lugar central. E todo mundo parava para olhar.
O ex-jogador também se lembra bem da partida contra o Real Madrid.
- Foi uma surpresa. O estádio estava lotado. E todo mundo na cidade só falava do jogo. Fomos recebidos como os reis do futebol. E por muito pouco, saímos de campo com o empate. O segundo gol deles saiu só no finzinho, e de pênalti.
Casado e pai de dois filhos, Edésio acompanha de perto o futebol, mas diz não gostar do que vê atualmente.
- Torço para o Cruzeiro. Não perco um jogo do time, mas o futebol de hoje é pior do que na minha época. Hoje os times jogam para trás, só pensam em defender e marcar. Quando eu jogava, a gente atacava o tempo todo.





O Bela Vista tem planos ambiciosos para os próximos anos. Com o departamento de futebol profissional desativado, o plano é retomar as atividades e disputar a terceira divisão do Campeonato Mineiro já em 2011.
O time já bateu os gigantes de Belo Horizonte nos tempos de glória. O Atlético-MG foi derrotado por 3 a 2, em 1961, no estádio Independência. Já o Cruzeiro foi batido por 1 a 0, também na capital mineira.
Segundo o atual presidente do Bela Vista, o advogado Wágner Oliveira, tudo está encaminhado para que o projeto saia do papel. Falta apenas o apoio financeiro de uma grande empresa da região de Sete Lagoas, que, segundo Oliveira, já está em fase final de negociação. O Bela Vista tem equipes ativas em todas as categorias de base e conta com mais de 350 jovens em suas escolinhas




O clube, que já revelou jogadores como o zagueiro Thiago Heleno, do Corinthians, e o lateral Marcos Rocha, ex-Atlético-MG e hoje no América-MG, sonha alto, para – quem sabe um dia – voltar a enfrentar um time poderoso, como o Real Madrid...

Até a próxima com a Graça de Deus.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

ROGÉRIO LOURENÇO FORA DO F L A.



Diz o torcedor do flamengo: “já vai tarde”. O técnico não resistiu aos maus resultados que deixaram a torcida rubro-negra furiosa. O último, considerado negativo, foi, ontem, frente a fraca equipe do Atlético Mineiro. Aliás, o galo desperdiçou grande chance de obter sua 1ª vitória fora de casa, pois, perdeu inúmeras oportunidades de marcar, principalmente, com o bom atacante Diego Tardelli que perdeu cara a cara com o goleiro Lomba.

O flamengo acordou a tempo, mesmo porque mais dois resultados adversos resultariam em zona do rebaixamento. Em se tratando de Zico, acredito que o time da Gávea contratará um técnico “top de linha”, talvez, atuando fora do Brasil, do nível Abel Braga.

Vamos aguardar.

domingo, 22 de agosto de 2010

PABLO no CRUZEIRO




No apagar das luzes! No último dia em que a ”janela de transferências internacionais” estava aberta, o Cruzeiro deu mais um presente a sua imensa torcida. O time celeste contratou o versátil Pablo de Barros que, com certeza, será muito útil para o técnico Cuca, pois, Pablo atua em várias posições e isso é o que todo treinador deseja, ou seja, um jogador polivalente.
Pablo foi contratado, por empréstimo, junto ao Zaragoza da Espanha que é detentor de 80% dos direitos econômicos do jogador. Com 21 anos, Pablo que se destacou no Vasco da Gama em 2008, se diz mais experiente.
- Tive a oportunidade de jogar contra o Real Madri, o Barcelona. Dos 38 jogos da Liga Espanhola, joguei 30, aos 19 anos, e isso me ensinou muita coisa. Volto mais maduro de quando saí do Vasco, em 2008.
É São João Nepomuceno alegre com mais um filho emprestando seu talento para o futebol mineiro. Toda sorte do mundo para nosso Pablo que, agora mais próximo de sua família, poderá desenvolver o grande futebol que o projetou nacional e internacionalmente.

Pablo de Barros Paulino

Posição: VERSÁTIL ( lateral, volante, meia de ligação ...)
Data Nascimento: 03/08/1989
Naturalidade: São João Nepomuceno-MG
Altura: 1.75 m
Peso: 64 kg

Carreira:
Olaria-RJ (2005-2007)
Vasco da Gama-RJ (2007-2008)
Zaragoza-ESP (2008)
Málaga-ESP (2008-2009)
Gimnástic de Tarragona-ESP (2009-2010)
Zaragoza (2010)





Categoria defendendo o "Machão da Gama".




Zaragoza-Espanha




Malaga-Espanha




Apresentação ao Ginastic-Espanha.


Com a Graça de Deus, até a próxima.

sábado, 14 de agosto de 2010

WEBER MENDONÇA NO BOTAFOGO - RJ



São João Nepomuceno é mesmo uma cidade de grandes talentos. Desta vez o destaque é para Weber Detoni Mendonça. Filho do meu amigo Luiz Sérgio Barbosa Mendonça e Rosária Detoni Mendonça, Webinho, 18 anos, que se destacou em São João e região, disputando torneios de futsal, tornou-se um eficiente jogador de meio campo. Para nossa alegria, neste mês de julho, depois de uma semana de testes na categoria júnior do Botafogo carioca, Webinho foi selecionado para integrar a equipe que representará o Glorioso na Terra do "Tio San".

O Botafogo firmou parceria inédita com uma empresa especializada em intercâmbio acadêmico esportivo a fim de encontrar jovens talentos do futebol. Portanto, selecionou 20 garotos que terão a oportunidade de disputar a I Copa Memphis, nos Estados Unidos, com a camisa alvinegra, entre os dias 24 e 29 de agosto, e o nosso Webinho está entre os escolhidos.

Participaram das seletivas somente atletas nascidos após 1 de agosto de 1991. Os garotos foram observados por treinadores do Botafogo e da empresa parceira.

Com a disputa do torneio nos EUA, os selecionados serão observados por técnicos norte-americanos, tendo a possibilidade de concorrer a bolsas esportivo-acadêmicas em universidades do país. Além disso, eles também serão analisados por treinadores das categorias de base do Botafogo.

A programação começa em 23 de agosto, com a chegada a Memphis. Nos dias 24 e 25, o Botafogo enfrentará respectivamente as equipes da Universidade de Memphis e da Universidade de Kentucky. Os jogos do torneio serão de 27 a 29, com retorno ao Brasil no dia 30 - os adversários ainda não estão definidos, e existe a possibilidade de o Milan também entrar na disputa.

Parabéns ao Webinho e boa sorte neste torneio, pois, no futebol, as oportunidades aparecem para uma minoria, e você faz parte dela. Tenha fé e acredite que Deus está com você. Agarre com todas as suas forças esta benção que Deus colocou em sua vida.

Vá com Deus. Estamos torcendo por você.

Até a próxima, com a Graça de Deus.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

BOTAFOGO REAGE E ANIMA SUA TORCIDA




Tarde de sábado; torcida do Botafogo animada com o sucesso obtido na última partida frente ao time do Vitória-BA e Engenhão recebendo um público de quase 30.000 espectadores. Como bom Botafoguense, confesso que estava preocupado, pois, o time de General Severiano, sempre, prega peça em sua torcida. Mas neste dia 07/08, véspera do dia dos pais, o Glorioso aplicou uma pequena goleada no Atlético Mineiro.

Apesar do técnico Joel Santana continuar insistindo no esquema 3 - 5 - 2, o alvinegro carioca esteve relativamente bem. Até os 20 minutos do 1º tempo foram muitos passes errados por parte das duas equipes, mas o Botafogo inaugurou o placar depois de uma bela arrancada do Maicosuel que encontrou o gringo Herrera livre na entrada da área do galo. Este disparou um balaço, que Fábio Costa deu rebote e o próprio Maicosuel empurrou para o fundo da rede, Fogão 1 a 0.

Apartir do 1º gol, o Botafogo - empurrado por sua entusiamada torcida, e reforçada pelo Roberto Isaías e seu filho André, além do João Daniel, eu e meu filho Túlio - passou a mandar no jogo e antes do término da 1ª etapa, Somália aumentava para 2 a 0.

Início do 2º tempo, o Atlético trocou Serginho pelo experiente Ricardinho. A mudança foi muito boa para o time mineiro, pois, o Botafogo foi envolvido pela cadência de jogo imposta, principalmente, pela presença do Ricardinho. Mas aos 30 minutos, depois de bela jogada pela esquerda, Jóbson foi derrubado dentro da área. Penalti que Herrera cobrou e fechou o placar. Fianl Botafogo 3 x 0 Atlético-MG.

Vamos lá Botafogo! Esperamos que não seja "fogo de palha". Vamos aproveitar esta sequencia favorável onde enfrentará o Atlético-GO em Goiás e Avaí e Ceará no Engenhão.

Com a Graça de Deus, até a próxima